GracieMag News

O dia em que Cauã Reymond foi salvo pelo Jiu-Jitsu

Cauã Reymond faz sua guarda favorita contra Gigi Paiva, na Alliance Rio, no Leblon. Foto: Daniel Amaral/Gallerr

O ator Cauã Reymond, faixa-preta formado por Alexandre “Gigi” Paiva na Alliance e ex-competidor em eventos da CBJJ, carrega até hoje grandes lições do dojô, úteis para sua vida e profissão. Para usar uma palavra da moda, o galã global nutre gratidão pelo Jiu-Jitsu que aprendeu.

Em entrevista exclusiva publicada nas páginas de GRACIEMAG, Cauã detalhou de que modos o Jiu-Jitsu foi seu grande aliado para pacificar a mente em situações de perigo. Ao ser assaltado certa vez, ou em outras quando foi provocado por algum abusado, o faixa-preta teve calma e controle para evitar graves problemas, segundo ele graças à serenidade que o Jiu-Jitsu traz. Contudo, em dadas ocasiões, o Jiu-Jitsu foi realmente pontual para salvar sua pele – literalmente.

“Tem um aspecto importantíssimo do Jiu-Jitsu que é o de não se precipitar uma situação”, disse o ator, “ou seja, de manter a frieza e não reagir, o que muitas vezes apazigua e soluciona uma situação. Já passei por situações de pessoas tentando me provocar, principalmente quando estas pessoas sabiam que eu já tinha lutado Jiu-Jitsu… Alguns indivíduos passam da conta, em ocasiões como no sambódromo por exemplo, e tentam se autoafirmar em cima de você. Nessas situações eu sempre soube buscar a melhor saída, falar firme quando preciso, manter a noção de espaço e escapar da ameaça da melhor maneira.”

Cauã já passou por outros casos, quando ainda era modelo:

“Certa vez eu estava na Itália tirando umas fotos, eram idos de 1999. Para você ver como eu não conseguia parar de treinar, eu pegava o kimono e ia numa academia de judô manter a forma. Eu morava em Milão e meu vizinho de porta era um marinheiro americano, um ex-Navy Seal que tinha sofrido uma explosão de granada na Somália, tinha umas marcas no braço e virou modelo, era dono de um rosto marcante. Ele tomava uns remédios tarja preta e gostava de me provocar, perguntando o que era Jiu-Jitsu, queria brincar de briga, essas coisas. Eu procurava evitar sempre. Até que um dia na rua ele me agarrou, nos embolamos e dei um armlock nele. Ele ficou enfurecido comigo. Bateu na minha porta com um facão horas depois, me xingando, dizendo que o braço dele estava machucado. Mas eu como sempre mantive a frieza, expliquei que não quis machucá-lo e a situação se tranquilizou. Depois a esposa dele me explicou que ele tinha esquecido de tomar alguns dos remédios.”

O ator teve a pele salva em outra situação, quando se acidentou no asfalto na Flórida:

“Em outra ocasião estava em Miami e um motorista bateu na minha moto. Dei cinco rolamentos e saí intacto. Poderia ter me machucado feio. Esta foi mais uma vantagem que o Jiu-Jitsu me proporcionou: sempre fui capaz de fazer a maioria das minhas cenas de ação, sem precisar ser substituído por um dublê. Como sempre fui um atleta bem alongado, sempre tive uma compreensão e uma inteligência corporal úteis em muitos papéis que fiz”, lembrou Cauã.

E você, amigo leitor, já foi salvo pelo Jiu-Jitsu em alguma enrascada? Comente conosco e, para ler o artigo completo e conferir outras lições de Jiu-Jitsu, assine agora a GRACIEMAG Digital, moderna versão da sua revista preferida para ler no celular, tablet e computador!

Aprenda com a primeira aula de Roberto Gordo na GMI Start BJJ

Gordo ensinou seus melhores truques na GMI Start BJJ. Foto: Reprodução

Depois de longa temporada em Abu Dhabi, Roberto “Gordo” Correa chegou à Flórida com a missão de ensinar o seu fino Jiu-Jitsu na nossa GMI Start BJJ.

A academia, tocada por Rafael “Gordinho”, já estava em plena atividade, mas a chegada do popularizador da meia-guarda promete dar ainda mais refino ao ensino do Jiu-Jitsu em Pembroke Pines.

Para sua aula de estreia no dojô, Gordo contou com a presença de Zé Mario Sperry, célebre campeão mundial absoluto em 1998 formado por Carlson Gracie, além de um exército de alunos, famintos para aprender as artimanhas de Gordo.

No vídeo, você confere a primeira aula do professor na nova academia. Veja e visite nosso catálogo GMI, com algumas das melhores academias de Jiu-Jitsu do Brasil e do mundo.

Jiu-Jitsu: Georges St-Pierre e o mata-leão que apagou Bisping no UFC 217

GSP já com a cana do braço no pescoço de Bisping para garantir o cinturão do UFC. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Em noite de gala no UFC 217, realizado no último sábado, no Madison Square Garden, em Nova York, Georges St-Pierre voltou para o octógono com o pé direito. Após quase 4 anos longe dos cages, o canadense ex-campeão dos meio-médios fez o seu retorno contra Michael Bisping, em combate que valeu o cinturão dos médios, e o Jiu-Jitsu forte do pupilo de Renzo Gracie e Matt Serra foi posto em prática.

No duelo, GSP começou com o controle do centro do cage. Algumas trocas de soco da média para a curta distância rolaram entre os atletas, mas sem real perigo de nocaute. Bisping voltou mais esperto na segunda etapa. Com leve cansaço do canadense, o cipriota naturalizado inglês atacou melhor na trocação e, mesmo derrubado no single leg, não se rendeu e voltou a pontuar em pé.

No terceiro assalto, St-Pierre não pensou duas vezes e levou logo para o solo no single-leg. Bisping se movimentou bem com as costas no solo e levantou, mas um cruzado forte de GSP levou o campeão ao chão novamente, e este acabou por ter o canadense nas suas costas. De lá, GSP aplicou o mata-leão da vitória: após passar o braço, Bisping não bateu e dormiu no estrangulamento. Vitória de Georges, que agora se coloca ao lado de Randy Couture, BJ Penn e Conor McGregor como campeão em duas categorias diferentes do UFC.

Confira no vídeo abaixo o legdrag e a finalização certeira de GSP!

.

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Com Jiu-Jitsu, Georges St-Pierre apaga Bisping em noite de zebras no UFC 217

St-Pierre engatilha o mata-leão vitorioso em Bisping na luta principal do UFC 217. Foto: Buda Mendes/Zuffa LLC via Getty Images

Noite histórica no Madison Square Garden, casa de grandes eventos esportivos que mais uma vez foi palco para um verdadeiro show de lutas. No UFC 217, realizado nesse sábado, dia 4 de novembro, o fã de MMA viu três donos de título serem destronados, um deles por um ex-campeão que usou o fino Jiu-Jitsu para chegar ao topo.

Georges St-Pierre, TJ Dillashaw e Rose Namajunas foram os desafiantes que conquistaram seus novos cinturões no octógono do UFC. Vale lembrar que mesmo com cinco assaltos programados para cada luta de título, nenhuma chegou ao quarto round.

Confira abaixo os detalhes de cada duelo válido pelo título mundial do UFC 217!

St-Pierre bota Bisping para dormir com o Jiu-Jitsu

No dia 16 de novembro de 2013, GSP deixou os cages ao anunciar sua aposentadoria. Pouco antes de completar quatro anos parado, o canadense voltou para defender sua sequência de 12 sucessos consecutivos em situação adversa: além do longo hiato longe do octógono, o desafio seria na categoria acima da que o craque reinou (a dos meio-médios) contra o atual campeão peso médio da organização, Michael Bisping.

No duelo, GSP começou com o controle do centro do cage. Algumas trocas de soco da média para a curta distância rolaram entre os atletas, mas sem real perigo de nocaute. Bisping voltou mais esperto na segunda etapa. Com leve cansaço do canadense, o cipriota naturalizado inglês atacou melhor na trocação e, mesmo derrubado no single leg, não se rendeu e voltou a pontuar em pé.

No terceiro assalto, St-Pierre não pensou duas vezes e levou logo para o solo no single-leg. Bisping se movimentou bem com as costas no solo e levantou, mas um cruzado forte de GSP levou o campeão ao chão novamente, e este acabou por ter o canadense nas suas costas. De lá, GSP aplicou o mata-leão da vitória: após passar o braço, Bisping não bateu e dormiu no estrangulamento. Vitória de Georges, que agora se coloca ao lado de Randy Couture, BJ Penn e Conor McGregor como campeão em duas categorias diferentes do UFC.

TJ é preciso e supera o veloz Cody Garbrandt

TJ atacou ferozmente após o knockdown para garantir a vitória. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Luta que definiu uma rixa pessoal entre os pesos-galos, por conta de desentendimentos e mudanças de equipe, Cody e TJ estavam inflamados para entrar no cage e disputar o cinturão. Na luta, TJ variava para tentar surpreender o campeão, mas Cody era sempre veloz nas investidas e mostrou superioridade, inclusive ao quase liquidar a fatura no fim da primeira etapa, após belo knockdown que só não concluiu a luta por TJ ser salvo pelo gongo.

No segundo round, porém, Dillashaw voltou melhor e aproveitou sua chance. Após levar Cody ao solo com um chute alto, TJ engatou em trocação franca com o campeão, e num cruzado de esquerda certeiro levou Garbrandt ao solo. Uma saraivada de socos obrigou Dan Miragliotta a encerrar o combate, declarando o novo campeão. TJ, pela segunda vez na carreira, conquista o cinturão até 61kg do Ultimate. Na primeira, superou Renan Barão, em 2014.

Namajunas choca o mundo e nocauteia a favorita Jedrzejczyk

Namajunas recebe o cinturão de Dana White e chora de emoção. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Invicta até então em 14 lutas no MMA, Joanna Jedrzejczyk fez a promoção de sua luta sempre na intenção de entrar na mente de sua adversária. Encaradas nervosas e até um leve soco no rosto de Rose apimentaram o duelo. Namajunas, por sua vez, se manteve firme como rocha, sem sorrir ou demonstrar emoções. A loira guardou tudo para o cage.

Na luta, que valia o cinturão peso-palha do UFC, Joanna começou as ações com suas fortes e rápidas combinações, mas foi Namajunas que conseguiu o primeiro golpe preciso, e levou a polonesa ao solo com o knockdown. Ao invés de investir nos ataques por cima, tentou atacar no Jiu-Jitsu e progredir no chão, mas Joanna escapou e levantou. Ainda balançada pelo ataque recente de Rose, Joanna ficou mais lenta que o normal, e Namajunas foi com tudo para cima. Com um cruzado de esquerda, levou a campeã ao solo mais uma vez, e Rose foi implacável por cima ao desferir socos. Por fim, Namajunas viu Joanna se render e a luta ser encerrada no primeiro assalto, como nova campeã da divisão.

E para você, amigo leitor, quais devem ser os próximos desafiantes aos novos campeões do UFC? Veja todos os resultados abaixo e comente conosco!

UFC 217
Madison Square Garden, Nova York, EUA
4 de novembro de 2017

Georges St-Pierre finalizou Michael Bisping no mata-leão aos 4min23s do R3
TJ Dillashaw nocauteou Cody Garbrandt aos 2min41s do R2
Rose Namajunas nocauteou Joanna Jedrzejczyk aos 3min03s do R1
Stephen Thompson venceu Jorge Masvidal na decisão unânime dos jurados
Paulo Borrachinha venceu Johny Hendricks por nocaute técnico a 1min23s do R2

Card preliminar

James Vick venceu Joe Duffy por nocaute técnico aos 4min59s do R2
Mark Godbeer venceu Walt Harris por desclassificação (chute ilegal)
Ovince St-Preux nocauteou Corey Anderson a 1min25s do R3
Randy Brown venceu Mickey Gall na decisão unânime dos jurados
Curtis Blaydes venceu Alexey Oliynyk por nocaute técnico a 1m56s do R2
Ricardo Carcacinha nocauteou Aiemann Zahabi a 1m58s do R3

Léo Leite perde invencibilidade no Bellator 186; Ryan Bader defende cinturão

Phil Davis e Léo Leite tiveram intensa troca de socos durante os três assaltos. Foto: Bellator

Noite de grandes emoções, duas disputas de cinturão e estreia com gosto amargo no Bellator 186, realizado nessa sexta-feira, dia 3 de novembro, na Pensilvânia.

Bicampeão mundial de Jiu-Jitsu, Leonardo Leite partiu para seu debute na organização com um cartel invicto de 10 lutas. Pela frente, o brasileiro teve Phil Davis, ex-atleta do UFC e ex-campeão do Bellator na divisão em que lutaram, a dos meio-pesados.

Mesmo como um peso médio de origem, Léo não descartou a oportunidade de estrear no Bellator e se jogou de cabeça no desafio de subir de categoria, para assim disputar com Phil um possível atalho até o cinturão. Contudo, o andamento da luta não foi como o fã de Jiu-Jitsu esperava.

Craque nas quedas e finalizações, Léo não conseguiu impor o seu ritmo. Mesmo com boas tentativas de derrubar próximo à grade, o ensaboado e bom de base Davis evitou todas as investidas. Na trocação, com superioridade na longa distancia e agilidade para rechaçar as combinações de Léo, o americano também levou vantagem. No fim dos três assaltos, Davis ficou com a vitória na decisão unânime.

Na luta principal, Ryan Bader defendeu o cinturão dos meio-pesados, ao dominar na posição lateral e castigar Linton Vassell com socos por cima no segundo assalto e conseguir o nocaute técnico. Já na luta coprincipal, Ilima-Lei Macfarlane aplicou um belo armlock do triângulo para bater Emile Ducote pelo cinturão inaugural dos pesos-moscas.

Confira abaixo os resultados completos!

Bellator 186
Pensilvânia, EUA
3 de novembro de 2017

Ryan Bader venceu Linton Vassell por nocaute técnico aos 3min58s do R2
Ilima-Lei Macfarlane finalizo Emily Ducote no armlock do triângulo aos 3min42s do R5
Phil Davis venceu Leonardo Leite na decisão unânime dos jurados
Ed Ruth nocauteou Chris Dempsey aos 27s do R2
Saad Awad venceu Zach Freeman por nocaute técnico a 1min07s do R1

Card preliminar

Mike Wilkins finalizou Brett Martinez no mata-leão a 1min09s do R2
Michael Trizano finalizou Mike Otwell no triângulo de mão aos 2min07s do R2
Dominick Mazzotta venceu Matt Lozano por nocaute técnico (interrupção médica) aos 2min37s do R1
Logan Storley venceu Matt Secor na decisão unânime dos jurados
Tywan Claxton nocauteou Jonathan Bowman a 1min29s do R1
Frank Buenafuente venceu Francis Healy na decisão unânime dos jurados

Carlão Barreto encara ex-UFC em duelo de lendas no Grand Slam de Jiu-Jitsu do Rio

Comentarista do Combate e SporTV, Carlão parte para mais um desafio de kimono. Foto: Divulgação

Uma das grandes atrações do Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu World Tour – Rio de Janeiro, será o desafio de “Lendas do Jiu-Jitsu”. Desta vez, o torneio promoverá um duelo entre dois ex-campeões peso pesado da arte suave: Carlão Barreto x Rafael Carino. O evento será realizado na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra (RJ), entre 10 e 12 de novembro.

Comentarista do canal Combate e vice-presidente da Confederação Brasileira de MMA Desportivo (CBAMM), Carlão Barreto agradeceu a Rodrigo Valério e Elias Eberhard, organizadores da etapa carioca do Grand Slam World Tour, pelo convite e revelou que esse era um grande desejo seu.

“Estava com muita saudade da adrenalina de competição. Apesar do dia a dia super corrido, tenho me dedicando bastante para esse desafio diante do Rafael Carino. Quando recebi o convite do Rodrigo e do Elias para fazer parte do Legends, fiquei muito envaidecido. O sonho de voltar a lutar estava muito grande. Estou voltando por mim, pela minha família, alunos e fãs. Esse era um pedido constante deles”, disse Carlão.

Oriundo da lendária equipe Carlson Gracie, Carlão Barreto terá pela frente um ex-atleta do UFC e representante de umas das principais escolas do Jiu-Jitsu brasileiro: a Nova União. Carlão prega muito respeito a Carino e prevê uma guerra para sair vencedor da disputa.

“Estou pronto para fazer uma grande batalha. O Carino é um grande lutador e será um oponente da melhor qualidade. Vou dar o meu máximo para proporcionar um grande espetáculo e sair daquele tatame de braços erguidos. O Jiu-Jitsu é uma família e essa competição será uma grande festa da arte suave. O leão é velho, mas ainda morde”, concluiu.

Além do Brasil, o Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu World Tour sedia etapas no Japão, Estados Unidos, Inglaterra e Emirados Árabes Unidos. Organizado em parceria pela Federação Brasileira de Jiu-Jitsu (FBJJ) e a Federação de Jiu-Jitsu dos Emirados Árabes Unidos (UAEJJF), o torneio distribuirá 125 mil dólares em premiações.

Serviço

Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu World Tour – Rio de Janeiro
Data: 10, 11 e 12 de novembro
Local: Arena Carioca 1 (Parque Olímpico da Barra)
Inscrições: www.fbjj.org.br
Entrada Franca

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Jiu-Jitsu e MMA: É preciso saber perder

Lyoto Machida acabou nocauteado no primeiro round por Derek Brunson, no UFC Sâo Paulo. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Perder dói. Vamos deixar de lado o falso estoicismo e assumirmos uma verdade absoluta: ninguém gosta de perder. Não conheci até hoje nenhum ser iluminado o suficiente para ficar indiferente a uma derrota ou alguém moralmente elevado o suficiente para, imediatamente, acreditar que aquilo ocorreu para o próprio bem.

É duro aceitar, mas a realidade é que, tanto o esporte quanto a própria vida são feitos de vitórias e derrotas, de bons e maus momentos. O que diferencia realmente as mentes fortes é saber reconhecer essa realidade e se recuperar após uma perda.

Gênios como Michael Jordan, Muhammad Ali e Georges St-Pierre souberam transformar derrotas em aprendizados e em motivação para se recuperarem. Corrigiram falhas, aprimoraram-se e apresentaram algumas das melhores atuações da história do esporte após sofrerem reveses pesados.

Infelizmente, essa não é a regra. Muitos astros conquistam uma autoconfiança tão elevada que a derrota passa a ser algo inconcebível. Quanto melhores eles são e mais vitórias vão acumulando, mais iludem-se de que são invencíveis. Quando essa ilusão é desfeita, perdem sua fundação e despencam em uma queda sem fim.

Autoconfiança é sim algo positivo. É ótimo mentalizar a vitória, acreditar em si mesmo, achar sempre que é possível vencer. Porém, como todo remédio, aconfiança em doses excessivas torna-se um veneno. Grandes lutadores como Anthony Pettis, Anderson Silva e Ronda Rousey apoiaram-se tanto na crença de que eram indestrutíveis que não souberam se recuperar da perda de seus cinturões.

Anthony Pettis tem o apelido de “Showtime”. Um apelido que era digno de suas lutas soltas, inventivas, criativas. Pettis tinha desenvoltura para arriscar desde a invenção do chute “Matrix” (chute com apoio na grade do octógono que aplicou no WEC) até a finalizar Ben Henderson (lutador mais graduado no Jiu-Jitsu e então campeão de UFC) com um armlock clássico de dentro da guarda. Porém, depois de ser pressionado e perder seu título para Rafael dos Anjos, parece que o destemor que o tornava especial esgotou-se. O Showtime acabou e seguiram-se quatro derrotas em cinco lutas, todas com desempenhos pífios.

No caso de Anderson Silva, o impacto do fim da invencibilidade é ainda mais evidente. O Spider é, na minha opinião, o lutador mais fantástico da história do MMA e soube, como ninguém no UFC, explorar a autoconfiança para potencializar seu talento, intimidar seus adversários e proporcionar grandes espetáculos ao público. Anderson baixava a guarda, expunha o rosto para que os oponentes tentassem acertá-lo e apresentava esquivas quase impossíveis. Arriscava porque acreditava piamente que não iria perder.

Contra Chris Weidman, essa rotina foi empregada em excesso e deu errado. Anderson foi nocauteado e perdeu o título que ostentou por quase sete anos. Isso não significa que tudo o que havia feito até então estava errado ou que sua carreira deveria acabar ali. Mas o que vimos daí em diante foi um lutador vacilante, conservador, temeroso. Nas lutas contra Nick Diaz e Michael Bisping, não tenho dúvidas de que o brasileiro tinha tudo para ganhar com direito a “couvert artístico”. Acontece que, sem a confiança necessaria, o que se sucedeu foram combates mornos nos quais Anderson parecia estar com o freio demão puxado.

Por pior que seja a situação de Pettis e Silva, sem dúvida o caso mais acintoso de não saber assimilar a derrota é o de Ronda Rousey. A ex-judoca olímpica foi a grande responsável pela popularização do MMA feminino e chegou a ser a maior estrela do UFC como um todo. Estava invicta e tinha um cartel inacreditável de 12 vitórias, todas por nocaute ou finalização, totalizando meros 25min36s de tempo na soma de todos os seus combates.

Tudo ia maravilhosamente bem até aquele chute. A canela esquerda de Holly Holm no UFC 193, em 2015, tirou muito mais do que o título de Ronda. A primeira derrota tirou toda sua estima, seu equilíbrio psicológico, sua própria identidade. Ronda simplesmente sumiu, engolida pela depressão e autocomiseração. Fugiu da imprensa, abandonou a academia, engordou. Toda aquela confiança que era vista como uma força mostrou-se uma grande fragilidade. Uma tênue máscara que escondia uma mulher instável, frágil, despreparada para lidar com as adversidades da vida.

A volta da ex-campeã no UFC 207 atraiu milhões de espectadores. Rousey estava novamente bela e em forma, aparentemente pronta para recuperar seu cinturão. Todavia, um olhar mais atento revelava que algo não estava certo.

Ronda não participou dos eventos normais de imprensa e promoção da luta. Recusou-se bizarramente a falar após a pesagem. Boatos diziam que ela havia chorado no vestiário após ver-se frente a frente com a soberana campeã Amanda Nunes. Na pesagem, a brasileira estava radiante ao entrar com uma intimidadora máscara de leoa. Já Ronda estava agitada e com um olhar receoso, sem o costumeiro brilho confiante. No momento em que o octógono se fechou no dia 30 de dezembro de 2016, ocorreu um massacre. A atual campeã avançou para cima de Ronda e desferiu 47 golpes para encerrar a luta em 48 segundos. Rousey foi um alvo fixo e não apresentou qualquer perigo à brasileira. Sua mente não estava lá. Ainda estava presa àquela derrota em novembro de 2015.

Estes tristes exemplos nos mostram que precisamos saber perder se quisermos de fato nos reerguer. O Jiu-Jitsu nos mostra que uma queda é só o começo do combate e que podemos perfeitamente vencer quando estamos por baixo.

Há vários aforismos da sabedoria oriental que pregam a aceitação e compreensão das derrotas como forma de crescimento. Mas, para não ser clichê, lembro os ensinamentos do mais icônico sábio da mitologia cinematográfica, o inesquecível mestre Yoda: “Treine para se desapegar de tudo o que você teme perder”.

* Artigo retirado da revista GRACIEMAG. Assine a versão digital e confira outras matérias como esta direto no seu celular, tablet ou computador.

Jiu-Jitsu: A pressão de Otávio Nalati pelo ouro no Rio BJJ Pro

Otávio Nalati vibrou muito após bater o favorito Dimitrius Souza na final do pesadíssimo. Foto: IBJJF

Etapa carioca do torneio da IBJJF que paga belos prêmios em dinheiro, o Rio BJJ Pro já se tornou ponto certo para reunir as maiores feras do Jiu-Jitsu nacional e internacional.

Um desses craques é Otávio Nalati, atleta da equipe Lloyd Irvin, que fez bonito na faixa-preta e levou para casa os 4 mil reais da premiação, no torneio que rolou no último final de semana, no Tijuca Tênis Clube.

Para ficar com o cheque e o topo do pódio, Nalati teve de enfrentar ninguém menos que Dimitrius Souza, craque da Alliance e um dos principais campeões do circuito nacional.

Para vencer, Nalati caprichou na pressão por cima, diminuiu com eficiência o espaço de Dimitrius por baixo e anulou o jogo forte de guarda do competidor da Alliance.

Confira no vídeo abaixo a técnica e a pressão de Otávio Nalati, campeão pesadíssimo do Rio BJJ Pro!

Rodolfo Vieira ensina passagem com montada na GMI Escola de Jiu-Jitsu Brasileiro

Rodolfo Vieira encarou Bernardo Faria pelo ouro super pesado no Mundial de 2014. Foto: Arquivos GRACIEMAG

Mesmo com sua migração para o MMA, o craque Rodolfo Vieira não deixa suas raízes no Jiu-Jitsu, e vez ou outra viaja para realizar um de seus lotados seminários pelo Brasil.

Em sua mais recente aula, na Escola Brasileira de Jiu-Jitsu, do nosso GMI Edgar Guimarães, Rodolfo mostrou um lance valioso que usou no Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF, e a transição pode ser o detalhe que faltava no seu jogo por cima.

Na filmagem, produzido pela nossa correspondente no sul do Brasil Camila Nobre, você pode ver os detalhes da poderosa passagem de guarda do faixa-preta do mestre Júlio César, a qual abre caminho diretamente para a montada. Vale lembrar que trata-se de uma passagem de guarda com esgrima dupla, levando o passador diretamente para a montada em posição que vale sete pontos (três da passagem e quatro da montada).

Confira o lance, gravado na nossa GMI em Blumenau, Santa Catarina, e tenha mais esta arma no seu jogo por cima!

Vídeo: O treino explosivo de André Galvão e Erberth Santos no Jiu-Jitsu

Galvão faz guarda para conter Erberth Santos no treininho de Jiu-Jitsu. Foto: Reprodução

Pentacampeão mundial de Jiu-Jitsu e astro na capa da GRACIEMAG, André Galvão trouxe lições valiosas para você, amigo leitor, após conquistar mais um título no ADCC. Todos os detalhes da preparação e os segredos para competir em alto nível você confere ao adquirir sua revista de Jiu-Jitsu nas bancas ou na moderna versão digital, para ler no celular, tablet ou computador.

Um desses segredos, segundo Galvão, é treinar duro, com adversários que possam agregar ao seu jogo. Seguindo essa linha de raciocínio, temos no vídeo abaixo um treininho explosivo de André Galvão com Erberth Santos, atual campeão mundial peso pesado da IBJJF.

A atividade, que rolou no QG da Atos Jiu-Jitsu, mostrou um duelo forte com trocas intensas de pegadas e tentativas de avanço nas posições. Sem deixar espaço, ambos os atletas jogaram no erro do adversário, para assim chegar nas suas posições de vantagem e até finalizar.

Veja o treino no vídeo abaixo e garanta já sua GRACIEMAG, nas bancas ou em versão digital!

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

GMI: Surf Jiu-Jitsu House abre com festa em São Conrado

Eraldo Gueiros, Flávio Canto e Vitor Terra na inauguração da Surf Jiu-Jitsu House. Foto: Divulgação

Num sofá de frente para a piscina, o patriarca da família, grande mestre Robson Gracie conversava sobre Jiu-Jitsu e MMA com uma de suas filhas e com alguns juristas. Entre pranchas de surfe, Flávio Canto ouvia histórias de alguns notórios caçadores de ondas gigantes. No outro extremo do casarão, a supermodelo internacional Daniella Sarahyba ficava de olho na filha pequena, que queria correr pelos tatames.

Foi assim, com pompas e convidados de esferas variadas, que foi inaugurada na última semana a novíssima Surf Jiu-Jitsu House, confortável casa de treinos com dojô e sala de fisioterapia em São Conrado. A proposta do espaço, uma parceria entre as feras Ian Robert Dugubras, Eraldo Gueiros e o professor Vitor Terra, é receber os amigos num espaço mais voltado para aulas particulares, seminários privados e trocas de ideia entre empresários, surfistas e faixas-pretas.

Nosso GMI Vitor Terra com o dojô e as pranchas temáticas do local. Foto: Divulgação

A especialidade de Vitor Terra, que comanda o dojô da casa, é a defesa pessoal para todas as idades, mas o jovem faixa-preta, que volta e meia compete, se mantém atualizado sobre as técnicas em uso nos campeonatos.

Eraldo Gueiros, também faixa-preta, tem mantido a forma no espaço, entre uma viagem e outra em busca de ondas perfeitas. “Do mesmo modo que os lutadores de Jiu-Jitsu procuram as ondas para relaxar, a gente procura o Jiu-Jitsu para descarregar o estresse do dia a dia”, contou Eraldo, que estava de partida para alguns dias de surfe no Havaí.

Siga a Surf Jiu-Jitsu House, nossa GMI, no Instagram, clicando aqui.

Lutador do UFC, Godofredo Pepey se inscreve e convoca atletas para o Classic BJJ Pro

Tenho um feriado ativo no Classic BJJ Pro. Foto: Divulgação

Em sua segunda edição, agendada para o feriado do dia 15 de novembro, o já tradicional Classic BJJ Pro GI e No GI promete um espetáculo de Jiu-Jitsu.

Organizado no ginásio da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Fortaleza, o torneio contará com 6 a 8 áreas (dependendo do número de inscritos), isenção de taxa de inscrição para deficientes físicos, arbitragem qualificada, ambulância com socorristas, medalhas exclusivas, kimonos para os primeiros colocados dos absolutos adulto, 50% do arrecadado para o restante dos abertos e pontuação alta no Ranking MEIAGUARDA.

A expectativa para o torneio é de um grande número de inscritos, tanto que até o atleta do UFC Godofredo Pepey já confirmou presença e aproveitou o espaço para convocar sua equipe e todos os praticantes de Jiu-Jitsu do estado do Ceará.

Não fique de fora. Salve a data em sua agenda de competições e suba no Ranking MEIAGUARDA! Inscreva-se já nas lojas TOGO, OSS, Moringa ou Fort Nutri. Confira os valores da inscrição com desconto até o dia 7 de novembro. O prazo final é no dia 11 de novembro.

Categoria – 50 reais
Absoluto – 30 reais
Com kimono + Sem kimono (Categorias) – 90 reais
Com kimono + Sem kimono (Categorias + Absolutos) – 140 reais
Projeto Social – 25 reais

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (85) 98954-3813, ou no site www.meiaguarda.com.br

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Kyra Gracie recebe 200 mulheres para aulão de Jiu-Jitsu no outubro rosa

Kyra passa detalhes de posição na Allaince São Paulo. Foto: Hertz Oliveira

Kyra Gracie ministrou um aulão de Jiu-Jitsu para 200 mulheres no último sábado, dia 28, em São Paulo, na academia Alliance. O evento foi uma iniciativa da atleta com Fabio Gurgel em comemoração ao Outubro Rosa, com o objetivo de incentivar e inspirar a prática de Jiu-Jitsu entre mulheres.

“Já tive que escutar que ninguém teria aula de Jiu-Jitsu com uma mulher e que eu iria morrer de fome porque não ganharia um real com a luta. As fotos desse evento são a resposta para quem me falou isso”, afirma Kyra.

Atualmente, Kyra é a embaixadora e porta-voz das mulheres no Jiu-Jitsu. A lutadora teve que combater o preconceito dentro da própria família, o que deu muita motivação para que ela conquistasse seus objetivos. “Meu foco é disseminar a arte suave e ajudar para que as mulheres tenham os mesmos direitos que os homens, no mundo dos esportes e fora dele. Lugar de mulher é no tatame, ou onde ela quiser!”, afirma.

Além da atividade ser altamente benéfica para a saúde e para o corpo, o Jiu-Jitsu também é ótimo para a defesa pessoal, o que acaba sendo um grande diferencial para mulheres que querem aprender algum tipo de luta. “No Jiu-Jitsu, por meio de alavancas, podemos neutralizar e controlar pessoas muito maiores e mais fortes que nós, ou seja, é ideal para mulheres”, explica Kyra.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Do que um bom professor de Jiu-Jitsu é feito?

“O bom mestre é aquele que tem a capacidade de motivar o aluno a realizar seus próprios sonhos”, diz Carlos Gracie Jr. Foto: Gracie Barra/Divulgação

Era uma vez um faixa-preta de Jiu-Jitsu respeitado e altamente técnico que vivia infeliz (caso verídico). Desconfiado que o problema era com a cidade onde morava, migrou do Rio de Janeiro para os Estados Unidos, onde abriu nova academia. Continuou insatisfeito e voltou a ensinar no Brasil, em cidade diferente. Mas sua mente rapidamente passou a planejar ir para a Europa, talvez Bali ou Havaí. Até que o professor se deu conta: ele não gostava era de ficar entre quatro paredes ensinando turma atrás de turma – o que ele gostava mesmo, o que lhe dava prazer, era lutar, treinar e competir.

O primeiro passo para saber do que um professor é feito, portanto, é olhar para dentro e perceber o que ele quer para si. A chama de transmitir conhecimento e a vontade de mudar a vida das pessoas está no interior de cada um, e não em outro lugar.

Segundo o professor José Henrique Leão Teixeira, nosso GMI no Rio de Janeiro, há três ingredientes principais que o bom mestre deve cultivar: “Paciência, disciplina e amor pelo que faz”. Sem isso, dificilmente o faixa-preta será um bom instrutor.

A boa notícia é que são aspectos que podem ser conquistados por qualquer um: recente pesquisa sobre educação e didática, publicada em junho de 2016 na revista “The Economist”, concluiu que ninguém nasce com o dom de dar aulas. Sim, assim como um grande lutador começa do nada, na faixa-branca, um professor também se faz com pura dedicação.

Arnaldo Niskier, escritor de 80 anos e dedicado à questão dos professores no Brasil, resumiu, em artigo na “Folha de São Paulo”: “Assim como treinadores ajudam atletas a melhorar em suas modalidades, professores também podem ter suas vocações aprimoradas.”

Mas como treinar para ser um bom professor de Jiu-Jitsu? Há cursos bem elogiados, como o lançado pelo próprio professor Leão Teixeira, citado acima. E há outros modos básicos de se aprimorar. Um exemplo: se você é faixa-roxa ou marrom e pensa em dar aulas no futuro, apresente-se para auxiliar seu professor, em aulas particulares ou em grupo. Participe de seminários, como aluno ou auxiliar. Tudo isso vai aos poucos moldar sua didática, bem como sua qualidade técnica.

No fim das contas, o professor competente não lida somente com pessoas e informações, mas com sonhos: “O bom mestre”, define Carlos Gracie Jr., fundador da Gracie Barra, “é aquele que tem a capacidade de motivar o aluno a realizar seus próprios sonhos”.

Outro bom método para se tornar um professor de excelência é entender as recompensas do ofício, que culminam no amor falado por Leão Teixeira, e também atraem fatores como disciplina e paciência. Como diz mestre Rickson Gracie: “O aluno mais fraco da academia é o que mais precisa de ajuda, e o que vai render a maior recompensa quando você conseguir ajudá-lo a alterar sua vida.”

Seja como for, o que se sabe hoje é que qualidade de ensino não depende de turmas grandes ou pequenas, academias luxuosas, elegantes ou bem equipadas. O que importa, na questão do aprendizado, é a qualidade do professor. É por isso que vemos campeões mundiais de Jiu-Jitsu formados em lugares tão diferentes.

O mestre digno, no fim das contas, será aquele que motivar o aluno a não desistir, a respeitar hierarquias, a lidar com sua vaidade, a aprender com os erros, a entender que a vitória só é doce com sacrifícios. E isso só consegue quem fizer o aluno se divertir ao aprender.

De acordo com o escritor Arnaldo Niskier, o professor “precisa aprender como transmitir conhecimento e preparar jovens mentes para recebê-lo. Bons professores definem objetivos claros, aplicam padrões altos de comportamento e administram o tempo da aula com sabedoria.”

E você, está buscando bons professores de Jiu-Jitsu perto de casa? GRACIEMAG Indica diversas escolas. Clique aqui!

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Ricardo Libório deixa a ATT após xingamentos de Covington ao Brasil

Libório ajudou a fundar a ATT em 2001. Foto: Divulgação

Faixa-preta de Carlson Gracie e um dos mais reconhecidos treinadores de MMA do mundo, Ricardo Libório não faz mais parte da American Top Team, equipe que ajudou a fundar em 2001. A declaração de saída veio após as intensas provocações de Colby Covington ao Brasil depois de sua vitória sobre Demian Maia no UFC São Paulo, realizado no último sábado.

Após bater Demian na decisão dos jurados, Covington disse em entrevista, ainda dentro do octógono, que o Brasil era um “chiqueiro, cheio de animais sujos.” A declaração trouxe a revolta de muitos brasileiros e alguns outros atletas que acharam a atitude exagerada, e Libório foi um a se pronunciar.

“Estou aqui para anunciar que não faço mais parte da American Top Team”, disse Libório. “Eu também não concordo com qualquer comportamento que instigue ódio, preconceito, ou bullying de qualquer tipo. Me entristece ver o esporte seguir uma direção de tamanho desrespeito. É anti-profissional, e também promove a cultura do ódio e crueldade entre as pessoas. Esportes de combate deveriam sempre representar as qualidades de humildade, empatia e respeito.”

Portanto, a equipe agora fica sob a batuta dos treinadores Conan Silveira, Marcos Parrumpinha e do co-fundador Dan Lambert, este último que afirmou que Libório já havia deixado a equipe há dois anos, após se mudar para Orlando na intenção de cuidar da filha. Dan disse, em entrevista ao MMA Fighting, que Libório continuou a receber pela equipe até pouco menos de um ano atrás, mas a sua saída formal não havia sido divulgada.

Sobre Covington, tanto o UFC quando o STJD-MMA estudam o caso e analisam se devem propor alguma punição ao atleta pelo teor de suas declarações. Mesmo sem se desculpar oficialmente após as ofensas, o americano revelou a Eduardo Alonso, empresário de Demian Maia, que tudo não passa apenas de um personagem.

“Os dois foram juntos para sala médica tomar pontos”, disse Alonso ao PVT. “O Colby também se machucou, se cortou, e lá ele falou comigo: ‘Espero que você saiba que isso é só um personagem, é só marketing, para vender. Optei por isso e preciso disso para me promover. Eu respeito muito o Demian, ele é uma lenda, foi uma luta muito dura, eu sou fã dele, sou grappler também, acompanho a carreira dele, ele foi guerreiro, e por favor fala para ele que eu sou fã dele e isso é só um personagem.’”

E para você, amigo leitor, as declarações de Colby Covington valem todo esse rebuliço ou esse tipo de promoção, no estilo Chael Sonnen e Conor McGregor, é válido em qualquer nível no MMA? Comente conosco!

Keenan Cornelius finaliza Erberth Santos em evento de Jiu-Jitsu nos EUA

Keena pega as costas e finalizar Erberth na final do absoluto. Foto: SJJIF

Dois craques da arte suave colidiram sem limite de peso neste final de semana, em Long Beach, na Califórnia. Keenan Cornelius, americano conhecido por suas guardas inventivas e finalizações precisas, encarou Erberth Santos, atual campeão mundial peso pesado da IBJJF.

O duelo rolou no SJJIF Worlds, na final do absoluto faixa-preta. Para sair com a vitória, Keenan teve a frieza de se desvencilhar da perigosa guarda 50/50 de Erberth, levantar, puxar para a guarda com lapela, pegar as costas e finalizar no mata-leão.

Veja o lance no vídeo abaixo e estude os movimentos deste belo combate!

Roberto Gordo comenta saída do comando técnico dos Emirados Árabes e vai ensinar Jiu-Jitsu nos EUA

Roberto “Gordo” Correa faz planos para o futuro, com a intenção de lecionar nos EUA. Foto: Reprodução

Depois de dois anos treinando os atletas dos Emirados Árabes, o faixa-preta Roberto “Gordo” Correa não é mais o coordenador técnico da equipe de Jiu-Jitsu do país. O professor, com 25 anos de experiência, está trocando de ares e vai ensinar nos Estados Unidos, mais precisamente numa das filiais da Start Jiu-Jitsu, em Sunrise, Flórida.

“Encerramos o contrato após dois anos, e vida que segue”, diz Gordo. “Estávamos conversando para quem sabe renovarmos, mas havia pequenas insatisfações das duas partes. No fim, acabamos decidindo assim. Foi uma experiência excelente, fiz alguns grandes amigos e aprendi muito sobre trabalho em conjunto e treinamento ao ser head-coach de uma seleção nacional. Foi bacana representar um país como Abu Dhabi nos tatames, e um grande aprendizado para a vida.”

Gordo agora volta à vida normal numa academia, mas já tem desafios à frente, ao redor do octagon do UFC:

“Eu tinha há tempos a ideia de ir ensinar nos Estados Unidos, até que surgiu o convite para ser o treinador dos atletas dos Emirados, e aceitei o desafio. Meu irmão (Rafael Gordinho) tem duas academias na Flórida, a Start Jiu-Jitsu, e vou tocar uma delas. O plano é dar um gás de lá também na minha associação de academias. Volto à ativa normalmente, temos em breve as lutas do Braga Neto (9 de dezembro, no UFC Fresno) e do Rafael dos Anjos (16 de dezembro, no UFC Winnipeg) e estarei no córner deles”.

Jiu-Jitsu: Estude o bote no mata-leão com Antônio “Cara de Sapato” no UFC SP

Cara de Sapato com o arrocho justo do mata-leão no UFC SP. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Em ação no UFC São Paulo, realizado no último sábado, dia 28, o faixa-preta Antônio “Cara de Sapato” mostrou mais uma vez que o seu Jiu-Jitsu continua afiado mesmo com a adapatção para as grades do MMA. Campeão Pan-Americano de Jiu-Jitsu, o ex-atleta da Checkmat, hoje integrante da ATT ao migrar para o octógono, o casca-grossa deu uma aula de chão no combate contra Jack Marshman.

O duelo do card preliminar não se extendeu além do primeiro assalto. Após chegar ao solo e logo ganhar a montada, Cara de Sapato posturou e soltou golpes por cima, o que fez Marshman girar e entregar o domínio das costas ao exímio finalizador. Com um bote certeiro, Cara de Sapato passou o braço por baixo do queixo adversário e, com o mata-leão muito bem encaixado, pouco fez pressão para conseguir os três tapinhas que indicaram o fim do combate.

Reveja no vídeo abaixo a progressão e o mata-leão de Antônio “Cara de Sapato” no UFC São Paulo!

Bia, Nalati, Canuto, Isaque e mais campeões do Rio BJJ Pro de Jiu-Jitsu

Otávio Nalati vibrou muito após bater o favorito Dimitrius Souza na final do pesadíssimo. Foto: IBJJF

A elite do Jiu-Jitsu marcou presença no Rio BJJ Pro da IBJJF, importante evento do calendário da arte suave que, além de consagrar os melhores competidores de suas respectivas categorias, ainda entregou aos melhores belos prêmios em dinheiro.

O torneio, realizado no último final de semana, nos dias 28 e 29 de outubro, no Tijuca Tênis Clube, contou com prêmios aos campeões absolutos da faixa-azul até a faixa-preta no feminino, enquanto o masculino, sem disputas no aberto, premiou os campeões de quatro categorias de peso.

Entre os homens, tivemos Otávio Nalati (Lloyd Irvin), campeão no pesadíssimo ao superar Dimitrius Souza (Alliance); Guilherme Santos (Alliance), ouro no peso pesado ao bater Vinícius Marinho (GFTeam); Jaime Canuto (GFTeam), dono do título entre os médios ao superar Celcinho Venícius (Ryan Gracie); e Isaque Paiva (Saikoo) campeão no peso-pena ao vencer Raphael Cadena (A2 Jiu-Jitsu). Cada campeão no masculino faixa-preta adulto levou 4 mil reais, e os vice-campeões ficaram com mil reais.

Bia Mesquita com a mão levanta após finalizar sua adversária pelo ouro absoluto. Foto: IBJJF

No feminino faixa-preta absoluto, Beatriz Mesqueita foi o nome de destaque. A fera da Gracie Humaitá mais uma vez botou seu fino Jiu-JItsu em ação e finalizou Joaquina Bonfim (ZR Team) no armlock para ficar com o ouro e o prêmio de 1.5 mil reais.

Outros destaques ficaram para nossos GMIs cascas-grossas que fizeram bonito na divisão de master. No master 1 peso médio, Guilherme Iunes, da Gracie Barra Bandeirantes, ficou com o primeiro lugar do pódio. Ainda no master 1, no peso pesado, foi a vez de Alberto Ramos, da GFTeam Cascadura, brilhar e faturar mais um ouro para o seu currículo.

Veja abaixo os resultados da faixa-preta e para conferir todos os campeões, clique aqui!

PRETA / Adulto / Masculino / Pena 1 – Isaque Alberto de Oliveira Paiva – Saikoo Jiu-Jitsu 2 – Raphael da Costa Cadena – A2 Jiu-Jitsu 3 – Jorge Luiz Nakamura – GF Team 3 – Pedro Paulo Dias Clementino – Caio Terra Association Brasil

 

PRETA / Adulto / Masculino / Médio 1 – Jaime Soares Canuto – GF Team 2 – Celso Venicius Alves Pinho Júnior – Ryan Gracie Team 3 – Luan de Carvalho Alves – Nova União 3 – Sandro Gabriel Vieira – Caio Terra Association Brasil

 

PRETA / Adulto / Masculino / Pesado 1 – Guilherme Augusto Soares Santos – Alliance SP 2 – Vinícius Tavares Marinho – GF Team 3 – Hebert Penido das Dores Junior – Gracie Barra 3 – Marcus Vinicius Lopo Ruiz – Ns Brotherhood

 

PRETA / Adulto / Masculino / Pesadíssimo 1 – Otavio de Souza Nalati – Team Lloyd Irvin 2 – Dimitrius Soares Souza – Alliance SP 3 – Antonio de Padua Assef N. Nascimento – GF Team 3 – Thiago Gaia T. Oliveira Marques – GF Team Recreio

 

PRETA / Adulto / Feminino / Médio 1 – Beatriz de Oliveira Mesquita – Gracie Humaita 2 – Marília da Conceição F. A. Vieira – Gracie Barra 3 – Keila Grace Gomes Diré Rosa – Gracie Humaita

 

PRETA / Adulto / Feminino / Super Pesado 1 – Joaquina dos Santos Bonfim Neta – ZR Team Brasil

 

PRETA / Adulto / Feminino / Absoluto 1 – Beatriz de Oliveira Mesquita – Gracie Humaita 2 – Joaquina dos Santos Bonfim Neta – ZR Team Brasil 3 – Keila Grace Gomes Diré Rosa – Gracie Humaita

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Pluma 1 – Albert Sant’anna de Carvalho – GF Team 2 – Windson Fontes Monteiro – Soul Fighters BJJ Tijuca 3 – Josuel Moreira Morais – Game Fight BJJ/Manimal 3 – Luciano Mattos da Silva – 014RBJJ

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Pena 1 – Rafael Porto da Costa – 014RBJJ 2 – Victor Miguez Monteiro da Silva – Ribeiro Jiu-Jitsu 3 – Isaac Guimarães Thomaz – Gracie Humaita 3 – Michel da Silva – A2 Jiu-Jitsu

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Leve 1 – Vinícius Soares Vieira – Kioto Brazilian Jiu-Jitsu 2 – Fabrício Cesar Lopes – Gracie Barra 3 – Genes Martins de Freitas Neto – Neto Fight Team 3 – Marcos Antonio Saher de Castro Junior – Zenith BJJ

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Médio 1 – Guilherme Ferreira Iunes – Gracie Barra 2 – Eric Lopez Medeiros de Souza – CONSTRICTOR TEAM 3 – Iaponan Miranda V. Junior – Top Brother 3 – Marcelo Alves – A.S Team

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Meio-Pesado 1 – Virgílio Ravazzano José de Castro – Gracie Barra 2 – Nilton Barbosa de Oliveira Junior – GF Team 3 – Bruno Batista de Aquino – Gracie Humaita 3 – Marcos Paulo Maciel Vieira – Alexandre Machado Jiu-Jitsu

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Pesado 1 – Alberto Ramos de Araujo Oliveira – GF Team 2 – Andre Luiz Daniel Santos – GF Team 3 – Magnun Oliveira do Nascimento – Gracie Humaita RJ 3 – Patrick de Oliveira Corrêa – CheckMat

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Super Pesado 1 – Hélio Timbo Mourão – Gracie Barra 2 – Aleksandro Marcelino Feitoza – GF Team 3 – Leandro Soares da Silva – Companhia Jiu-Jitsu 3 – Yuri Soares dos Santos – Gracie Barra

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Pesadíssimo 1 – Sergio Teixeira de Britos – DDR JJ 2 – Filipe Paes Cabral – Nova União 3 – Bruno Fonseca da Silva – Nova União/NU

 

PRETA / Master 1 / Masculino / Absoluto 1 – Filipe Paes Cabral – Nova União 2 – Hélio Timbo Mourão – Gracie Barra 3 – Genes Martins de Freitas Neto – Neto Fight Team 3 – Sergio Teixeira de Britos – DDR JJ

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Pluma 1 – Renato Campos Lage – Gracie Humaita RJ 2 – Diego Martins Ferreira – Adão Januário BJJ 3 – Jesus Alberto de Almeida Ferreira – Nova União 3 – Marcio Luiz de Oliveira – Nova União

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Pena 1 – Carlos Eduardo Enes Raymundo – GF Team 2 – Everton Luiz Santos Dantas – GF Team 3 – Fagner Castro Da Costa – Soul Fighters BJJ Tijuca 3 – Sergio Alexandre L. Capella Junior – Nova União

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Leve 1 – Luciano Martin Correa – Brazilian Fight 2 – Thiago de Oliveira Dutra – Striker JJ 3 – Fábio Valentino de Assis – A2 Jiu-Jitsu 3 – Lidio Henrique da Silva Santos – GF Team

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Médio 1 – Marco Aurelio Fontoura Braga – Gracie Humaita 2 – Gabriel Araujo do Carmo – Gracie Barra 3 – Guilherme Madeira Goraib – Gracie Humaita RJ 3 – Vitor Amaral Domingos – Nova União

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Meio-Pesado 1 – Vinicius Franklin de Carvalho – Gracie Barra 2 – Celson Augusto Caetano – Gracie Humaita RJ 3 – Alex de Moraes L. Figueredo – Gracie Humaita 3 – Leandro Alves de Araujo – Brazilian Top Team

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Pesado 1 – Washington Luis Theodoro – Soul Fighters BJJ Tijuca 2 – Leonardo Martins – Game Fight BJJ/Manimal 3 – Marcos Kosaka – Nova União 3 – Wallace Luiz Rodrigues de Castro – GF Team

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Super Pesado 1 – Vagner Luiz de Souza Barbosa – Infight JJ 2 – Frederico dos Santos Ribeiro – Campos Jiu-Jitsu 3 – Daniel Dias Nova – Gracie Humaita RJ 3 – Reginaldo Aguiar Carneiro – Team Buda JJ

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Pesadíssimo 1 – Diego Ballouta Cardoso Braz – Gracie Barra 2 – Andre Luiz G. Pimenta Barreira – Nova União 3 – Guilherme França Lamha – GF Team 3 – Marcelo da Silva Azevedo Andrade – Alliance RJ

 

PRETA / Master 2 / Masculino / Absoluto 1 – Andre Luiz G. Pimenta Barreira – Nova União 2 – Vagner Luiz de Souza Barbosa – Infight JJ 3 – Celson Augusto Caetano – Gracie Humaita RJ 3 – Daniel Dias Nova – Gracie Humaita RJ

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Pluma 1 – Mauro Henrique Ayres Junior – Carlson Gracie Team 2 – Emerson Ferreira Faria – GF Team

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Pena 1 – Hugo Leonardo Alves Martins – Gracie Barra 2 – Gustavo Pavan Togi – Gracie Humaita 3 – Alexandre Abrahão da Silva – X-Team Sports 3 – Ricardo Marques Arcanjo – Gracie Barra

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Leve 1 – Gustavo Souto Perdigão Granha – Equipe Totti Jiu-Jitsu 2 – Leonardo Paes Oliveira – Gracie Barra 3 – Edilson Silva Fernandes – GF Team Recreio 3 – Rogerio Poggio de Castro – Infight JJ

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Médio 1 – Nilson Macedo Telles da Silva – GF Team Recreio 2 – Cesar Drumond Barcelos – GF Team 3 – Anderson de Souza Silva – GF Team Recreio 3 – Marcelo Pereira Dourado – GF Team

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Meio-Pesado 1 – Gustavo De Santana E Almeida Alves – GF Team 2 – Vicente Paula Cunha Barros – GF Team 3 – Andre Luiz Martini de Castro Ferreira – Rio Grappling Club

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Pesado 1 – Augusto Cesar Matheus de Oliveira – GF Team 2 – Fernando Antonio Pereira Kamp – Equipe Totti Jiu-Jitsu 3 – Gilberto de Souza Paiva – CheckMat 3 – Matheus dos Reis Videira – CheckMat

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Super Pesado 1 – Edison Teixeira Neubert – Guetho Jiu Jitsu 2 – Bruno Enrique Costa Villardi – Gracie Barra 3 – Bernardo Travassos de Lucena – A.S Team 3 – Luis Gustavo da Silva Ribeiro – Kito – Ryu

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Pesadíssimo 1 – Ary Sergio de Souza Bello Junior – GF Team 2 – Antonio Marcos Sotto Mayor Ribeiro – GF Team 3 – Helton Nogueira Lima – Gracie Barra 3 – Lucio Flavio de Campos – Top Brother

 

PRETA / Master 3 / Masculino / Absoluto 1 – Antonio Marcos Sotto Mayor Ribeiro – GF Team 2 – Augusto Cesar Matheus de Oliveira – GF Team 3 – Bernardo Travassos de Lucena – A.S Team 3 – Leonardo Paes Oliveira – Gracie Barra

Escape da imobilização do judô – e não tenha medo do Halloween

Você já ficou preso por baixo, seu adversário te imobilizando feito um judoca?

Lá atrás, em 1996, o holandês Remco Pardoel visitou a Gracie Barra e usou bastante esta posição. Ele era um veterano do UFC, e uma vez aplicou esta técnica no Octagon para distribuir um monte de cotoveladas e nocautear Orlando Wiet.

Renzo também treinou com Remco e usou uma técnica suave para sair fácil dali.

“Eu levanto as minhas pernas, e quando elas descem, eu saio do caminho. Toda a alavanca dele depende de eu estar ali. Então no momento que eu levanto e me mexo, estou fora”.

Este vídeo é um entre outros 228 do curso “Renzo Gracie – Dominando o Jiu-Jitsu“. Especificamente o quinto vídeo da aula 19, “Saídas de Gravata”.

Não é uma saída de gravata. Por isso incluímos como um bônus na aula 19, já que também é uma situação amedrontadora. Especialmente quando você está treinando com alguém mais pesado que você, e ele chega ali.

Então aprenda a sair dali após assistir a este vídeo acima.

Se você gostar, faça um favor a si mesmo e se empodere com “Renzo Gracie – Dominando o Jiu-Jitsu” ao assistor o curso todo, lembrando os conceitos e praticando os movimentos.

Após concluir, nós garantimos que você não vai mais se assombrar com nenhum fantasma em qualquer situação que envolva um combate direto com outra pessoa.

Encare isto com um presente de Halloween para você. O curso inteiro “Renzo Gracie – Dominando o Jiu-Jitsu” por apenas R$ 60,00. Menos de 27 centavos por vídeo.

Mas é assustador pois a oferta vai simplesmente desaparecer após a meia-noite de terça-feira. Então aja agora e se empodere investindo apenas R$ 60 nas suas habilidades no Jiu-Jitsu.

PS. O curso tem 24 aulas. Cada aula compreende diversos vídeos, num total de 228. Todos os movimentos e conceitos foram cuidadosamente selecionados por Renzo Gracie. E tudo por R$ 60, mas você tem que agir agora, antes que a oferta desapareça.

Pages