GracieMag News

“Do Jiu-Jitsu ao MMA”, com Rodolfo Vieira e Bruno Malfacine, estreia hoje no Combate

Bruno Malfacine e Rodolfo Vieira nos bastidores do Shooto. Foto: Carlos Arthur Jr.

Se há alguns anos o caminho de migração entre a arte suave e o MMA era natural, nos tempos modernos a coisa mudou de figura. Contudo, dois astros dos tatames resolveram calçar as luvinhas e entrar nos cages do esporte de artes marciais mistas para provar mais uma vez o valor do nosso esporte.

É com essa premissa que o Combate, junto com a Mixer Films, produziu o documentário “Do Jiu-Jitsu ao MMA”, que vai ao ar nesta segunda-feira, a partir das 20h. O documentário acompanha os detalhes da migração e preparação de Rodolfo Vieira e Bruno Malfacine, campeões na arte suave, em sua passagem para o MMA.

Rodolfo, campeão mundial absoluto em 2011, fez sua estreia no Arzalet Fighting Globe Championship, em fevereiro, após meses de treino na ATT, sob a batuta de Ricardo Libório. Bruno, nove vezes campeão mundial pela IBJJF, entrou pela primeira vez no cage no Shooto 74, em agosto deste ano, em evento no qual Rodolfo fez sua segunda luta profissional, e a produção acompanhou todas as emoções dos bastidores e dos duelos.

“Tenho certeza que essa série irá inspirar não apenas atletas do nosso meio”, disse Rodolfo. “Mas qualquer pessoa, independente da sua profissão. Porque o que não falta são valores e princípios que a arte marcial nos ensinou. Esses que são aplicáveis em qualquer área e em qualquer relação. ”

Não perca hoje, as 20h, a estreia da série “Do Jiu-Jitsu ao MMA”, no Combate.

Roberto Cyborg brilha no Miami Open de Jiu-Jitsu e fatura ouro duplo

Cyborg no pódio do absoluto. Foto: Reprodução

Dia de muito Jiu-Jitsu e fortes emoções nos EUA, com mais uma edição do Miami Fall Open da IBJJ. Realizado no último final de semana, o torneio reuniu grandes nomes da arte suave na elite da faixa-preta, e o resultado foi uma sequência de grandes lutas.

Destque entre os professores, Roberto Cyborg mostrou mais uma vez o seu valor de kimono, e garaintiu o ouro entre os adultos, tanto no pesadíssimo quanto no absoluto.

Para conquistar o ouro duplo, Cyborg encarou duas vezes o jovem Max Gimenis (GFTeam) e após duas duras batalhas conseguiu superar seu oponente. Vale ressaltar que todas as lutas de Cyborg no absoluto foram vencidas por finalização. Na comemoração, Cyborg teve no pódio a companhia de Seu Roberto, pai da fera.

Outros destaques no torneio ficaram para João Miyao (Cícero Costha), campeão no peso-pluma; Osvaldo Queixinho(Ares BJJ), dono do título nos pesos leves; e Felipinho César (Barbosa JJ), que reinou entre os médios.

Confira abaixo os resultados completos!

BLACK / Adult / Male / Light-Feather 1 – João Ricardo Bordignon Miyao – PSLPB Cicero Costha 2 – Rodrigo da Costa Oliveira – Fight Sports BLACK / Adult / Male / Feather 1 – Thiago Augusto Araujo Macedo – Rodrigo Pinheiro BJJ 2 – Silvio Duran de Barros Saraiva – Vitor Shaolin BJJ 3 – Brandon Woodly Walensky – Clark Gracie Jiu Jitsu Academy 3 – Kevin Javier Mahecha – American Top Team BLACK / Adult / Male / Light 1 – Osvaldo Augusto Honorio Moizinho – Ares BJJ 2 – Alexandre Faria Molinaro – Carlson Gracie Team 3 – Breno Henrique Abreu Bittencourt – Ares BJJ Brasil 3 – Kauan Argimon Barboza – Carlson Gracie Team BLACK / Adult / Male / Middle 1 – Felipe Cesar Silva – BARBOSA JIU-JITSU 2 – Piter Frank Almeida Silva – Alliance 3 – Denis Mitchel Batista Pinto – Fight Sports

3 – Fabricio José Barbarotti – PSLPB Cicero Costha

BLACK / Adult / Male / Medium-Heavy 1 – Nathan Albrecht Mendelsohn – Coalition 95 2 – Vinicius P. Canabarro – RCJ Machado

3 – Pedro Henrique Monteiro Palhares – Luiz Palhares Jiu Jitsu

BLACK / Adult / Male / Heavy 1 – Horlando de Jesus Monteiro – GD Jiu-Jitsu Association 2 – Diego Gamonal Nogueira – Brazilian Top Team – Florida 3 – Charles Kilyan Mcguire – American Top Team 3 – Paulo Bruno Chermont Azambuja – Fight Sports BLACK / Adult / Male / Ultra-Heavy 1 – Roberto de Abreu Filho – Fight Sports 2 – Max dos Santos Gimenis – GF Team

3 – Thomas Anthony McMahon – Alliance

BLACK / Adult / Male / Open Class 1 – Roberto de Abreu Filho – Fight Sports 2 – Max dos Santos Gimenis – GF Team 3 – Horlando de Jesus Monteiro – GD Jiu-Jitsu Association 3 – Viktor de Araujo K. Doria – Fight Sports

Jiu-Jitsu: O sorrateiro mata-leão em pé que funcionou no UFC

O golpe inusitado e certeiro de Jan Blachowicz no UFC. Foto: Reprodução.

Noite de grandes lutas na Polônia com a edição de número 188 do UFC Fight Night, realizada em Gdansk nesse sábado, dia 21. Na luta principal, o britânico com alma de brasileiro Darren Till despachou o favorito Donald Cerrone por nocaute técnico e manteve sua invencibilidade, mas outra luta do card chamou a atenção dos fãs de Jiu-Jitsu.

Jan Blachowicz, atleta da casa e ex-campeão do KSW, encarou Devin Clark no card principal do evento. Depois de um primeiro assalto movimentado, Jan voltou para a segunda etapa com sede de vitória. Devin se projetou com forte ataque na trocação, mas ao chegar na grade foi surpreendido por Jan, que ainda em pé aplicou um mata-leão que ninguém esperava. O ajuste foi certeiro e a pressão no estrangulamento fez com que Devin Clark batesse rápido, sem chance de defesa, aos 3min02s do segundo assalto.

Reveja o lance no vídeo abaixo e confie sempre no seu bote certeiro!

Neiman Gracie aplica o Jiu-Jitsu e finaliza mais uma no Bellator 185

O aperto de Nemina Gracie para vencer mais uma e manter sua invencibilidade no MMA. Foto: Bellator

Invicto no MMA com seis finalizações e uma decisão dos árbitros, Neiman Gracie mais uma vez colocou seu Jiu-Jitsu à prova no Bellator, na edição de número 185 do evento, realizada nessa sexta-feira, dia 20, nos EUA.

Seu adversário, Zak Bucia, mais experiente com 26 lutas no cartel até então, não era nenhum leigo no solo. Das suas 18 vitórias, nove vieram por finalização. Contudo, o estilo agressivo e justo de Neiman fez bem o seu papel para trazer a vitória.

Depois de trabalhar bem na grade e defender uma tentativa de Zak na guilhotina, Neiman conseguiu derrubar no double-leg. Bucia logo se levantou, mas ao tentar defender nova queda acabou surpreendido por uma pegada de costas rápida do Gracie.

No solo, Neiman tentou estrangular, mas Zak abaixou o queixo para evitar o mata-leão. Sem pestanejar, Neiman investiu no queixo adversário e torceu com tudo, para fazer Bucia batucar com a enorme pressão exercida em seu maxilar.

Confira no vídeo abaixo o lance vencedor de Nemian Gracie, que se mantém invicto no MMA!

A mensagem do Jiu-Jitsu para o mundo em tempos de guerra

Faixa-preta Gabriel Marinho, nosso GMI na academia ProCombat, abraça seu adversário após a luta em sinal de respeito. Foto: Flashsport

Num mundo tão complicado, cheio de hostilidades, uma das grandes magias do Jiu-Jitsu é fomentar o respeito entre as pessoas, mesmo que elas estejam competindo pelo mesmo objetivo.

É o que ensina o professor GMI Gabriel Marinho, da academia ProCombat, em Campo Grande, no Rio de Janeiro.

“Respeito é a base de toda a existência humana”, diz Gabriel. “Respeito aos mais novos, aos mais velhos, aos vencedores e aos que foram vencidos. Do mais importante campeão ao mais novo faixa-branca. O respeito é e sempre será nossa maior vitória.”

A lição de Gabriel é vista todo os finais de semana nos campeonatos de Jiu-Jitsu em todas as partes do mundo, nos quais depois de batalhas duras por posições, os competidores sempre terminam num abraço. Não limitado à arte suave, o cordial abraço é também visto em outros esportes de luta, como o boxe e o MMA. É preciso buscar este respeito sempre, pois o adversário sempre estará pronto para te ajudar a crescer e evoluir como atleta.

Roger Gracie e Marcus Buchecha se abraçaram após o duelo histórico no Gracie Pro. Foto: Carlos Arthur Jr.

Qual a melhor lição que o Jiu-Jitsu trouxe para a sua vida, amigo leitor? Deixe nos comentários e espalhe a mensagem da arte suave!

Renzo Gracie e a pegada perfeita

“O melhor lutador de Jiu-Jitsu entre todos é aquele que mais se diverte em cima de um tatame”, ensina mestre Renzo Gracie. De fato, se você não tem prazer em vestir seu kimono, pode ser o mais forte e habilidoso de todos, mas dificilmente você será o melhor. Uma lição tão simples quanto poderosa: só o amor pelo ofício pode trazer a perfeição. E isso fica evidente logo nos instantes iniciais do vídeo que vamos estudar hoje. Num clima descontraído e animado, Renzo cativa a atenção dos alunos antes de explicar os segredos para a pegada perfeita quando tentamos estrangular um oponente. 

Renzo chama atenção para a importância do domínio correto da primeira mão que avança contra a gola do oponente. Se o encaixe não estiver certo e devidamente aprofundado, nem vale a pena dar continuidade ao golpe, afinal, o adversário vai conseguir fazer postura e resistir ao arrocho com facilidade, enquanto você vai desperdiçar energia e força, sem contar o desgaste das pegadas.

“Muitos lutadores têm o hábito de puxar a lapela do paletó do adversário, achando que assim a outra mão vai entrar com facilidade e de forma aprofundada, rente ao pescoço do adversário”, comenta Renzo. “Eu recomendo o contrário. Em vez de puxar a lapela, eu empurro a lapela para o lado, abrindo um amplo espaço para a outra mão entrar”. 

É dessa forma que Renzo consegue alcançar a pegada perfeita. A partir desse poderoso domínio, o Gracie garante: “Não importa onde a segunda mão vai catar o kimono do oponente. Por pior que seja a pegada da segunda mão, o estrangulamento será eficiente. O que realmente importa é a perfeição do primeiro domínio”.

A partir de agora, recorra a esse ensinamento na hora de arriscar um estrangulamento nos treinos e assim refine os ajustes do seu “torniquete”. Renzo lembra que essa lógica funciona em qualquer situação, não precisa ser apenas na guarda fechada. “Busque a pegada perfeita com a primeira mão sempre que for estrangular, esteja você na montada, na meia-guarda, com o joelho na barriga… Você vai perceber rapidamente que a sua capacidade de finalização será muito maior”, conclui o mestre, um dos precursores da transição do vale-tudo clássico para o MMA moderno, e bicampeão do ADCC.   

Veja Yuri Simões x Mirko Cro Cop em treininho solto de Jiu-Jitsu na Croácia

Crocop e Uri posaram juntos após o treino na academia do croata. Foto: Reprodução

Bicampeão do ADCC em duas categorias diferentes de peso, Yuri Simões se colocou em outro patamar no Jiu-Jitsu quando o assunto é disputa sem kimono. Com planos de migrar para o MMA em um futuro próximo, Yuri já começa a fazer seus treinos com pessoas do ramo, e nesta semana a fera arrumou um sparring gabaritado para afiar suas armas.

Yuri, de passagem pela Croácia, se encontrou com a lenda Mirko “Cro Cop” Filipovic. Campeão do Pride, ex-atleta do UFC e campeão do GP do Rizin em 2016, Cro Cop tem no currículo, além dos mortais chutes altos, algumas belas finalizações no MMA, e não aliviou para Yuri no treininho de Jiu-Jitsu.

“Me lembro que eu acordava de madrugada para ver as lutas desta lenda ainda na época do Pride”, disse Yuri no Instagram. “Eu era apenas um garoto sonhador, que ainda dava os primeiros passos no Jiu-Jitsu. Sonhava em um dia conhecer um dos meus ídolos e ontem pude realizar esse sonho. Foi uma honra poder treinar e aprender um pouco com a lenda Mirko “Cro Cop” Filipovič, um dos maiores nomes da história do esporte.”

As feras rolaram com muita movimentação e troca de vantagens no solo, e você pode conferir o treino entre as feras no vídeo abaixo!

.

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Há 10 anos: o mata-leão de Demian Maia em sua estreia invicta no UFC

Demian com sua finalização preferida do MMA em sua estreia no UFC. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Considerado um dos maiores representantes do Jiu-Jitsu no MMA, Demian Maia tem uma carreira longeva dentro do esporte de luvinhas, e no dia 20 de outubro de 2007, há exatos 10 anos, o craque pisava pela primeira vez no octógono mais famoso do mundo.

Depois de brilhar com seu fino Jiu-Jitsu de kimono no Brasil, EUA e Abu Dhabi, Demian migrou com sucesso para o MMA, e acumulou seis vitórias seguidas, três delas por finalização. O convite para o UFC veio na edição de número 77 do evento, na cidade de Cincinatti, em duelo pelos pesos médios, categoria no qual o faixa-preta fez sua escalada até disputar, dois anos depois, o cinturão contra Anderson Silva.

Seu adversário de estreia foi Ryan Jensen, atleta mais experiente, que já tinha no cartel 11 vitórias e apenas duas derrotas. Sem se amedrontar, Demian partiu para cima confiante nas suas habilidades e logo buscou a queda para trabalhar no solo. Jensen não se entregou e defendeu bem as investidas do brasileiro, enquanto pode. Em um bote certo no pescoço, Demian passou o braço por baixo do queixo de seu adversário e apertou com fino ajuste, para ter os três tapinhas ainda no primeiro assalto, no mata-leão que valeu inclusive o bônus de finalização da noite.

Relembre o debute de Demian Maia no vídeo abaixo e não perca a próxima atuação da fera no Ultimate, no dia 28 de outubro, na luta coprincipal do UFC São Paulo!

Rorion Gracie sobre vida saudável: “alimentação é mais importante que atividade física”

Rorion Gracie com o livro que detalha as combinações e benefícios da Dieta Gracie. Foto: Divulgação

Rorion Gracie, 65 anos, se tornou referência no mundo das artes marciais ao difundir o Jiu-Jitsu nos EUA e criar o UFC, que mais tarde seria vendido para os irmãos Fertitta e Dana White. Contudo, a doutrina da alimentação saudável é o que rege a vida o Gracie.

O mestre esteve em São Paulo na última terça-feira, dia 16, para lançar a nova edição do livro “A Dieta Gracie”, e falou sobre os detalhes das combinações de alimentos criadas pelo seu tio Carlos Gracie, compiladas no livro, que nesta nova edição traz um capítulo falando apenas de receitas para desintoxicar o corpo.

Além disso, Rorion lembrou da importância de uma alimentação saudável aliada ao exercícios físicos, mas frisou que comer bem é mais importante do que movimentar o corpo.

“Não é atividade física que mantém a gente com saúde”, disse o Gracie em entrevistas a revista Quem. “Alimentação é fundamental. Se a pessoa fizer ginástica todos os dias e não tiver uma alimentação adequada, ela vai se dar mal no final. Não adianta comprar todos os alimentos orgânicos, direitinho e misturar de maneira errada. Milhares de pessoas seguem a dieta Gracie no mundo todo e sentem melhorias no corpo. São melhoras impressionantes em questões de azia, gastrite, enxaqueca… Tudo isso a gente melhora ou mesmo elimina através da alimentação.”

O sucesso da Dieta Gracie faz adeptos não só entre atletas. Famosos de todas as esferas também aprenderam os benefícios da combinação correta dos alimentos, como as atrizes Cléo e Glória Pires.

“Falei sobre a dieta Gracie com a Gloria e ela resolveu fazer uma experiência e sentiu-se muito bem. Não poderia ter um apoio melhor que o de Gloria Pires.”

Para saber mais, adquira a nova edição do livro “A dieta Gracie”, ou busque Dieta Gracie no GRACIEMAG.com e confira algumas de nossa receitas favoritas!

ADCC e Jiu-Jitsu: entramos na era da especialização?

O americano Gordon Ryan, sensação do ADCC 2017, ataca Keenan Cornelius em disputa sem kimono. Foto: Gallerr.com

Por Jiuliano Leon *

Durante o ADCC 2017, a copa do mundo da luta agarrada realizada em setembro último na Finlândia, reparei que amigos se surpreendiam com as tantas vitórias de faixas-pretas até então desconhecidos dos fãs do Jiu-Jitsu esportivo. Eu, porém, preferi sorrir, aplaudir e dar os parabéns. Parabéns, comunidade do Jiu-Jitsu; seja bem-vinda à era da especialização no esporte.

O Jiu-Jitsu é um esporte curioso, pois é milenar ao mesmo tempo em que é jovem – em suas raízes, era praticado por samurais no Japão, enquanto o primeiro Mundial de Jiu-Jitsu brasileiro ocorreu em 1996. Sendo assim, segue caminhando a passos largos em direção à maturidade e à evolução, que pode ter não fim.

Por isso, será que foi mesmo surpresa ver algumas estrelas consolidadas do Jiu-Jitsu esportivo não tendo o mesmo desempenho nas regras e peculiaridades do ADCC? Será que atletas de menor expressão no mundo do kimono garantirem o pódio é uma zebra galopante?

Peço perdão mas tento responder com algumas perguntas:

Você apostaria seu suado dinheirinho em Usain Bolt numa corrida de 5 mil metros? Ou no nadador Michael Phelps numa prova de travessia marítima?

Eu não faria. E isso não quer dizer que o Bolt não tenha uma técnica perfeita nem que o Phelps não tenha treinado o suficiente. São especializações diversas.

Basta olhar ao redor para entendermos um pouco sobre esses caminhos paralelos do Jiu-Jitsu e do ADCC. Pensemos no futebol, por exemplo.

Talvez o leitor se lembre de como começou o futebol de areia no Brasil e no mundo. As primeiras seleções de futebol de praia (o beach-soccer, em bom português) eram formados por ex-craques do campo na faixa de 40 anos, que conheciam um pouco de praia, caso de Júnior e outros. Veio a massificação do esporte via Fifa e televisão, e surgiram jovens especializados no jogo de bola na areia, sem passagem nenhuma pelos gramados.

Outro exemplo similar vem do voleibol, onde campeões aposentados vestiam a viseira e garantiam troféus e vagas olímpicas entre as duplas de praia. Creio que até no tênis podemos traçar paralelos – há craques muito melhores no saibro do que na grama. Por fim, vale lembrar a evolução do MMA profissional: hoje ninguém pode imaginar que um craque do pano tire o kimono e conquiste do dia para a noite o cinturão do UFC, como nos anos 1990.

A conquista do absoluto por Felipe Preguiça, o novo supercampeonato de André Galvão e o tri de Rubens Cobrinha, claro, tampouco são surpresa, até pelo estudo profundo que os três têm da modalidade sem kimono. Os faixas-pretas que vestirem o kimono terão uma visão sempre mais abrangente, completa e inteligente das técnicas de chão. Mas o ADCC 2017 dá indícios que a dedicação e a especialização em cada modalidade serão um caminho cada vez mais rotineiro para quem quiser vencer naquela modalidade específica. É ver para crer no ADCC 2019.

Minha aposta: em dez anos, os campeões sem kimono serão totalmente diversos dos astros do Jiu-Jitsu esportivo. Indo mais longe, esses dois grupos de lutadores perigam desenvolver costumes, culturas, filosofias de treino e formas físicas diferentes – provavelmente notaremos, de longe, se aquele cara chegando é um atleta do Jiu-Jitsu ou do no-gi.

Bem-vindos à evolução e a profissionalização do esporte.


* Jiuliano Leon é professor de judô e Jiu-Jitsu formado na Alliance Rio.

>>>> Para ler mais sobre o ADCC na Finlândia, garanta a revista digital GRACIEMAG, clicando na imagem a seguir!

Chegou a revista digital GRACIEMAG, leia no seu celular!

Vitor Belfort anuncia última luta no UFC em janeiro; conheça o adversário

Belfort anunciou antes mesmo do UFC sua última luta do contrato, contra Uriah Hall. Foto: Carlos Arthur Jr.

O velho leão já tem nova data de despedida do UFC. Após anunciar sua última luta no UFC Rio, em junho deste ano, e se ver em maus lençóis ao identificar uma confusão contratual, Vitor Belfort terá sua derradeira batalha no Ultimate no início de 2018.

Em seu último combate no octógono, Belfort vai encarar Uriah Hall, americano conhecido como “Homem-Ambulância” após participação arrasadora no TUF. O duelo será no dia 14 de janeiro.

Acabo de assinar o contrato para lutar no UFC dia 14 de Janeiro. Eu sempre busquei grandes desafios e na minha última luta no UFC não poderia ser diferente… @uriahhall será uma honra dividir o octógono com um lutador tão novo e talentoso. Obrigado por aceitar a luta! I just signed my bout agreement for January 14th at UFC. I always looked for big challenges and in my last UFC fight it couldn’t be different… @uriahhall it’s a honor to share the cage with a such young and talented fighter. Thanks for accepting the fight!

Uma publicação compartilhada por Vitor “The Phenom” Belfort (@vitorbelfort) em Out 19, 2017 às 5:35 PDT

Belfort (26v, 13d, 1nc) é ex-campeão meio-pesado do UFC, além de ter lutado mais três vezes pelo cinturão (uma vez nos meio-pesados e duas pelo cinturão dos médios). Belfort vinha de três derrotas seguidas no Ultimate, contra Ronaldo Jacaré, Gegard Mousasi e Kelvin Gastelum, esta última alterada para “no contest” após Gastelum testar positivamente para o uso de maconha, e em seguida bateu Nate Marquardt no UFC 212, no combate que seria sua despedida.

Hall (13v, 8d) vem de vitória sobre Krzysztof Jotko, em setembro deste ano, mas antes vinha de retrospecto complicado nos médios, ao ser superado por Robert Whittaker, Derek Brunson e Gegard Mousasi.

E para você, amigo leitor, Belfort ainda tem garrafas para vender e sairá com a vitória em sua despedida do UFC? Comente conosco!

Léo Leite detalha estratégia para vencer Phil Davis no Bellator: “Derrubar e pegar”

Léo Leite calçou pela primeira vez as luvas do Bellator, e GRACIEMAG estava lá para conferir. Foto: Carlos Arthur Jr.

Bicampeão mundial de Jiu-Jitsu e atleta olímpico de judô, Leonardo Leite fez com sucesso sua transição para o MMA. Invicto com dez sucessos nas grades, o brasileiro foi convocado para fazer sua estreia no Bellator no dia 3 de novembro, na 183ª edição do evento, contra o ex-campeão Phil Davis.

GRACIEMAG esteve com Léo Leite nos estúdios da Fox Sports no início deste mês de outubro, e conversou com a fera sobre a oportunidade no Bellator e o debute contra um duro adversário logo na sua chegada. Léo não titubeou e garantiu que esta seria a melhor estreia para ele na organização.

Veja abaixo o papo com a fera do Jiu-Jitsu e do MMA e não perca sua estreia no Bellator 183, dia 3 de novembro, ao vivo e exclusivo nos canais Fox Sports!

GRACIEMAG.com: Invicto no MMA e com estreia marcada no Bellator. Como foi o convite e como você recebeu a proposta de um oponente duro como o ex-campeão Phil Davis?

Léo Leite:
Eu recebi o convite para lutar no Bellator e fiquei muito feliz. A luta com o Phil Davis é uma luta ótima para mim, mesmo sendo pela minha estreia na organização. O Phil é ex-campeão da categoria dos meio-pesados e ele pode ser o atalho que eu preciso para chegar no cinturão. Estou com 39 anos, não sou mais um garoto, então eu não posso trilhar meu caminho até o título. Tenho que chegar, fazer bem o meu trabalho e me jogar com tudo rumo ao topo.

Como você analisa o duelo contra o Davis? Já conseguiu traçar uma estratégia para bater o americano?

Acho que o meu jogo encaixa bem contra o Davis. Ele é um atleta duro, ex-campeão da categoria, mas eu vejo algumas falhas no jogo dele. A parte de defesa de quedas é uma dessas brechas que eu pretendo explorar. Minha base no jodo, principalmente, pode ser um diferencial, é um estilo pouco conhecido ao ser adaptado para o MMA e pode me trazer a vantagem necessária para levar o Phil Davis para baixo e, assim, trabalhar o meu Jiu-Jitsu. Quero lutar bem em pé, mostrar o meu valor, e assim derrubar para finalizar.

E o ritmo de treinos? Como você se preparou para estar bem na estreia pelo Bellator?

Os treinos estão ótimos. Estou 100% para entrar e vencer na luta. Fiz meus treinos na BTT, com o Murilo Bustamante, e também nas academias KS Wrestling, do professor Antoine Jaoude, e parte física no Instituto Reação, com o Márcio Pimentel. Estou cercado de ótimo material humano e tenho certeza que estarei na ponta dos cascos no dia da luta.

E para você, amigo leitor, o craque Léo Leite tem as armas necessárias para bater Phil Davis e se colocar como postulante ao título meio-pesado do Bellator? Comente conosco!

Mestres Fernando “Pinduka” e Otávio “Peixotinho” ensinam a defesa pessoal básica do Jiu-Jitsu

Mestres Pinduka e Peixotinho em aula de defesa pessoal. Foto: Reprodução

Leais aos ensinamentos de Carlson Gracie, os mestres Fernando Pinduka, faixa vermelho-e-branca, e Otávio Peixotinho, faixa-coral, seguem disseminando o que aprenderam em Copacabana com o saudoso professor e ídolo do vale-tudo, mestre também em defesa pessoal.

Neste vídeo, os mestres mostram a equipe GRACIEMAG uma pequena seleção de técnicas básicas úteis para todas as faixas etárias, ótimas para espantar qualquer ofensor. Confira e busque aprimorar na academia. Oss!

https://www.youtube.com/watch?v=mh9OLztDWmQ

Inter Gracie de Jiu-Jitsu volta ao São Paulo FC para sua 12ª edição

Ryan’s Gracie Way marca o torneio com disputas até a finalização. Foto: Tiago Molinos

Evento realizado anualmente com o objetivo de melhorar vidas e difundir os princípios do Jiu-Jitsu, o Inter Gracie chega à sua 12ª edição com novidades.

De volta ao ginásio do São Paulo Futebol Clube, o torneio mais uma vez conta com as emocionantes disputas do Ryan’s Way Challenge, e neste ano o vencedor será classificado para competir no Gracie Pro 2018, evento que em 2017 coroou Roger Gracie em sua despedida dos tatames.

“Nosso evento cresce a cada ano”, diz Flávia Gracie, organizadora do Inter Gracie. “O sucesso e desenvolvimento é fruto de muito trabalho, dedicação e suporte das empresas parceiras que acreditam, apoiam e confiam no nosso projeto. Esperamos mais um evento de sucesso para esta edição.”

O torneio está marcado para o dia 18 de novembro, com disputas em diversas categorias além do Ryan’s Way Challenge, que prevê disputa sem pontos, até pegar, de 20 minutos.

Fique ligado no www.ryangracie.com.br para mais informações sobre o campeonato!

Como o Jiu-Jitsu pode ajudar você e sua família a vencer a ansiedade e a depressão

Se recupere da tristeza, ansiedade e depressão com uma boa dose de Jiu-Jitsu. Foto: Nelson Chaves

Tão perigosos quanto as doenças do corpo, os males da mente são capazes de derrubar um desavisado num piscar de olhos. A ansiedade em excesso e a depressão podem fazer um touro confiante se transformar num ratinho acuado. Mas, como para tudo na vida há solução, o nosso Jiu-Jitsu também tem sua parcela de contribuição para resolver males de tal natureza.

O primeiro passo é se movimentar, literalmente. Afinal, todo exercício físico libera endorfinas no corpo, e estas, além de propriedades analgésicas, ajudam contra a ansiedade. Mas o Jiu-Jitsu vai além: ele ajuda na parte social também. Como é um esporte de contato que exige treinos com outras pessoas, os treinos rendem novas amizades, conhecimentos e companheirismo, fatores que os estudos confirmam serem cruciais para afastar a depressão e demais distúrbios mentais.

Além das questões físicas, químicas e sociais, a arte suave também ajuda a fortalecer a mente de seus atletas contra qualquer adversidade. Temos como ótimo exemplo a batalha maior de João Gabriel Rocha, faixa-preta da nossa GMI Soul Fighters, que venceu um câncer em 2014. Para ele, o Jiu-Jitsu foi ferramenta imprescindível na dura batalha contra os efeitos colaterais da quimioterapia e para afastar quaisquer pensamentos negativos.

“Eram três litros de químio injetados nas minhas veias diariamente”, disse João Gabriel, em entrevista recente à equipe GRACIEMAG. “Sentia meu corpo inteiro queimar por dentro. Mas encarava cada ciclo, cada sessão, como uma luta até a medalha de ouro, e o sofrimento como se fossem aqueles últimos dez segundos de luta, em que eu precisava suportar tudo, dar mais um gás sinistro para vencer. Eu tinha certeza de que venceria a doença. Jamais a ideia da morte me abalou, na minha cabeça só passavam os próximos planos no Jiu-Jitsu, como e quando retomaria os treinos, quando lutaria de novo etc. Mantive a cabeça muito boa, com o auxílio do Jiu-Jitsu.”

Já o professor Cleiber Maia, nosso GMI da LPM Jiu-Jitsu, no Rio, contou uma história prática de como o esporte salvou um amigo atormentado pela tristeza crônica:

“Conheci um atleta que tinha uma tendência depressiva, reclamava da vida em vários aspectos. Num dia de campeonato da SJJSAF, eu estava sem adversário para uma luta especial contra o Alan Oliveira, faixa-preta que tem paralisia cerebral. Chamei este meu amigo para lutar com o Alan. Eles lutaram e assim que o duelo terminou ele se ajoelhou no tatame e chorou. Me disse que não era justo reclamar da vida ao ver o Alan sempre com um sorriso no rosto.”

E você, conhece algum exemplo de como o Jiu-Jitsu foi uma ferramenta vital contra a depressão e a ansiedade? Comente conosco.

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Efeito Paolla Oliveira: Jiu-Jitsu na novela atraiu mais mulheres às academias

Rafael BBzão com sua turma feminina no CT Rio Fight. Foto: Arquivo pessoal.

A popularização dos esportes de combate nas séries, filmes e telenovelas há décadas estimula a procura por academias, e este ano as escolas de Jiu-Jitsu puderam experimentar semelhante fenômeno.

Na novela “A força do querer”, de Glória Perez, a personagem principal foi uma faixa-preta de Jiu-Jitsu e atleta de MMA, vivida pela atriz Paolla Oliveira e inspirada na lutadora Érica Paes. Graças à personagem Jeiza, muitas mulheres perderam o medo de ingressar na arte suave – a começar pela própria Paolla, que começou a treinar em outubro de 2016 para o papel e se apaixonou pela arte suave.

O crescimento do Jiu-Jitsu feminino foi tamanho este ano que muitas academias decidiram criar novas turmas apenas para mulheres. Caso do nosso GMI Rafael BBzão, professor da GFTeam Pechincha:

“Abrimos recentemente uma turma só para mulheres”, diz Rafael. “Além das aulas mistas todos os dias, garantimos um horário apenas para o público feminino terças e quintas, às 19h30. Tivemos um aumento bom na procura por parte das mulheres, e penso que as turmas femininas ajudam muito no crescimento do nosso esporte.”

O professor e lutador da GFTeam destaca a vontade do mulheril nos treinos:

“Elas são muito aguerridas, não gostam de perder nem no treino. Existe uma vaidade e um espírito de disputa muito forte, mas só na hora do treino. A união da equipe é muito boa.”

E na sua academia, amigo leitor? Já há turmas apenas femininas? Poste nos comentários!

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Filho de Royce, Khonry Gracie usa o Jiu-Jitsu e estreia com vitória no MMA

Royce Gracie com o filho Khonry, mais novo atleta de MMA do mercado. Foto: Arquivo pessoal.

Lenda do esporte, Royce Gracie mostrou a eficácia do Jiu-Jitsu no primeiro UFC da história, há quase 24 anos.

Agora, o campeão do Ultimate e Hall da Fama acompanha os primeiros passos de seu filho na modalidade que o fez famoso em todo o mundo.

Khonry Gracie, de 20 anos, não viu o pai ser campeão do UFC 1, mas seguiu os passos do progenitor no esporte de luvinhas e fez sua estreia no final do mês passado, ainda como amador.

O evento de debute de Khonry foi o Attitude MMA Fight 10, nos EUA, contra Ben Clark, na divisão de meio-médios. O Gracie tinha como estratégia buscar a queda e finalizar, mas a vitória veio na decisão unânimes dos jurados.

“Meu plano era levar a luta para o chão”, disse Khonry em entrevista ao MMA Fighting. “Meu oponente era muito duro. Foi uma ótima primeira luta. Estou feliz por ter vencido, por ter meu pai no meu córner e poder dar continuidade ao legado da família.”

Veja no vídeo abaixo a atuação de Khonry Gracie no MMA e deixe suas impressões sobre o herdeiro de Royce Gracie nos comentários!

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Última chance de garantir sua vaga na VIII etapa de Copa Prime de Jiu-Jitsu

Inscrições se encerram hoje. Não perca esta chance! Foto: Divulgação

A temporada da Copa Prime de Jiu-Jitsu entra em sua fase decisiva, faltando apenas 2 etapas para o encerramento do circuito e 90 pontos para a consagração dos Top Ranking de 2017.

A VIII etapa da Copa Prime de Jiu-Jitsu, com qualificação de três estrelas (peso três no ranking), será realizada no dia 22 de outubro no Ginásio do CEI, em Campo Bom (município próximo a região metropolitana de Porto Alegre-RS).

Pela primeira vez a cidade sediará uma Etapa Prime, e as inscrições Se encerram nesta terça-feira (17 de outubro) e podem ser realizadas através do site www.prosportsbjj.com.

Já a última batalha do ano, agendada para o dia 19 de novembro, promete fechar com chave de ouro a temporada. A cidade de Lajeado será palco da IX Etapa que terá qualificação de duas estrelas e peso dois no ranking. O primeiro lote de inscrições com descontos está aberto e se encerra no dia 29 de outubro. As inscrições gerais serão finalizadas no dia 14 de novembro.

Vale lembrar que os melhores atletas do ano faturarão vaga na Seleção Prime rumo às melhores competições internacionais e nacionais da modalidade: o Mundial de Jiu-Jitsu da IBJJF, em Long Beach – EUA (sete vagas), o Mundial de Master da IBJJF em Las Vegas (duas vagas) e o Campeonato Brasileiro da CBJJ em São Paulo (quatro vagas).

Participar das próximas etapas e garantir boas pontuações é uma boa oportunidade também para quem quiser melhorar sua colocação na classificação geral e garantira a sua posição no hall dos Top 10 do ano.

Por isso, não perca tempo. Inscreva-se agora na VIII Etapa da Copa Prime de Jiu-Jitsu e busque seu lugar entre os melhores do ranking!

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Aposentado no Jiu-Jitsu, Roger Gracie pendura as luvas no MMA: “Parei em alto nível”

Roger Gracie em ação no MMA com seu fino Jiu-Jitsu. Foto: Divulgaçã/Strikeforce

Lenda do Jiu-Jitsu, Roger Gracie está em outro patamar no esporte. Campeão de tudo que encarou, o craque fez sua última luta de kimono recentemente, encarou o astro Marcus Buchecha, finalizou a fera e pendurou o kimono ao se aposentar oficialmente do Jiu-Jitsu. A expectativa, agora, era ver Roger de volta ao MMA, para defender e buscar outro cinturão no One FC, mas o Gracie teve outros planos.

Roger, de 36 anos, decidiu pendurar também as luvas, e se aposentar como campeão do One FC. A fera deu seu parecer sobre a decisão.

“Eu decidi parar porque eu não acho que o MMA estava me motivando o suficiente para me dedicar 100% à vida de atleta”, disse Roger em entrevista ao MMA Fighting. “Eu adorei, foi um prazer fazer essas 10 lutas profissionais de MMA, mas eu não tenho outras ambições nesse esporte. Eu fiz 36 anos, não queria competir depois dos 38, e eu não tenho muito mais a conquistar no MMA, algo que mudaria a minha carreira.

“Eu terminei minha carreira em alto nível. Eu teria mais a perder do que a ganhar se eu continuasse no MMA. Se eu tivesse a mesma paixão que eu tenho pelo Jiu-Jitsu no MMA eu continuaria, mas a única motivação que me manteria no MMA seria o dinheiro, mas eu sou contra fazer algo pensando só no dinheiro. Penso inclusive que eu não daria 100% de mim numa situação dessa, então eu decidi me aposentar e focar em outras coisas na minha vida.”

Dez vezes campeão mundial na faixa-preta, Roger segue como professor de Jiu-Jitsu e tem planos de crescer ainda mais com a sua equipe, com sede em Londres, além do Roger TV, projeto no qual a fera ensina seu melhores macetes pela internet.

E para você, amigo leitor, Roger Gracie fez a decisão certa ao se aposentar também no MMA? Comente conosco!

Veja rapidinho o melhor post sobre Jiu-Jitsu que lemos no Dia do Professor

Por Jiuliano Leon*

Já parou para pensar quantos professores foram necessários até você aprender sua primeira chave de braço? Já tentou medir a corrente de ensinamentos e energia utilizada ao longo da história até tal conhecimento chegar a você?

Consegue ter a noção do nosso tamanhinho perante a história?

Sim, o seu aprendizado só foi possível porque incontáveis samurais, guerreiros, monges e mestres ensinaram outros tantos alunos que se tornaram mestres até chegar ao instrutor que ensinou você.

E é por isso que, quando você se propõe a ensinar, ajuda a prolongar esse fluxo de ensinamentos por, no mínimo, mais 50 ou cem anos. Se você adicionar honra, caráter, amor, disciplina, compaixão e a busca da verdade aos seus ensinamentos técnicos, você pode realmente transformar o mundo. Porque aprender e ensinar é, também, um modo de se transformar num mecanismo de mudança da sociedade.

Ser um professor ou sensei de artes marciais é, assim, ter inúmeras dúvidas e apenas uma certeza: a de que um faixa-preta é capaz de mudar o mundo todos os dias.

Para isso, é preciso contar não com mil técnicas mirabolantes nem saber duzentos golpes eficazes, e sim ter em mente que se é apenas um sensei entre muitos que vieram antes – e os inúmeros que virão depois, sem sombra de dúvidas.

Oss!

*Jiuliano Leon é  professor de judô e Jiu-Jitsu formado pela Alliance Rio.

Pages