GracieMag News

Abu Dhabi Grand Slam de Jiu-Jitsu: Os finalistas da faixa-preta no Rio de Janeiro

Patrick Gáudio superou Xande Ribeiro na decisão dos árbitros para avançar à final até 94kg. Foto: Carlos Arthur Jr.

Nem mesmo o dia cinza e chuvoso na Cidade Maravilhosa espantou os fãs que estavam sedentos para conferir as emoções do Abu Dhabi Grand Slam de Jiu-Jitsu. A Arena Carioca 1 no Parque Olímpico do Rio de Janeiro recebeu, nesse sábado, dia 11 de novembro, os duelos na faixa-preta e marrom.

Após os animados combates entre os futuros professores da arte suave, era chegada a hora da elite do Jiu-Jitsu mundial adentrar as nove áreas montadas na arena. Entre os favoritos, nomes famosos como Xande Ribeiro, Celsinho Venicius e Fernandinho Vieira acabaram no caminho antes de chegarem nas finais, que rolam neste domingo, dia 12, ao vivo no Combate.

Feras como João Miyao, Igor Silva, Isaque Bahiense, Patrick Gáudio e Hugo Marques fizeram bonito no sábado e garantiram vaga nas finais de domingo. Entre as mulheres, Bia Mesquita, Ana Carolina Vieira, Bia Basílio e Cláudia do Val voltam no último dia de evento para lutar em busca do ouro.

Outro destaque para este domingo fica por conta da superluta do Abu Dhabi Legends, entre os ex-atletas do UFC Carlão Barreto (Carlson Gracie) e Rafael Carino (Nova União).

Na divisão de masters, nosso GMI Rogério Poggio (Infight) garantiu o ouro no master 4 até 77kg. Cristiano “Titi”, da BH Rhinos, garantiu seu lugar na final do master 1 até 94kg contra Rubens Pedro (NS Brotherhood), enquanto Cláudio Caloquinha e Sérgio Beninni, dupla da GMI Gracie Barra BH, se encontraram na semifinal do master 1 até 77kg. Caloquinha avançou e enfrenta Sandro Veira (CTA) na final.
Outros GMIs que fizeram bonito na faixa-preta master foram os cascas-grossas Carlos Holanda (Carlos Holanda JJ), Arthur Gogó (GFTeam Cascadura), Alberto Ramos (GFTeam Cachambi) e Sérgio Capella (Laranjeiras Club).

Confira abaixo os finalistas na faixa-preta adulto que entram em ação hoje, no último dia de Abu Dhabi Grand Slam do Rio!

Masculino

56kg – José Carlos Lima (GFTeam) x David Herrera (Soul Fighters)
62kg – João Miyao (Cícero Costha) x Hiago Goerge (Cícero Costha)
69kg – Rafael Mansur (NS Brotherhood) x João Gonçalves (Alliance)
77kg – Hugo Marques (Soul Fighters) x Ricardo Lima (NS Brotherhood)
85kg – Isaque Bahiense (Alliance) x Gustavo “Braguinha” (NS Brotherhood)
94kg – Guilherme Santos (Alliance) x Patrick Gaudio (GFTeam)
110kg – Igor Silva (Commando Group) x Gerard Labinski (NS Brotherhood)

Feminino

49kg – Mayssa Bastos ficou com o ouro (sem oponentes na chave)
55kg – Amanda Nogueira (GFTeam) x Mayara Abraão (GFTeam)
62kg – Bia Mesquita (Gracie Hmaitá) x Bia Basílio (Almeida JJ)
70kg – Ana Carolina Vieira (GFTeam) x Thamara Silva (Cícero Costha)
90kg – Cláudia do Val(De la Riva) x Heloisa Ferreira (Alliance)

Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu: Os destaques do primeiro dia no Rio de Janeiro

Thiago Silva em uma de suas finalizações na faixa-roxa. Foto: Ane Nunes/Gentle Art Media

Após vários dias de clima frio e nublado, o Rio de Janeiro acordou nesta sexta-feira, 10 de novembro, em um típico dia de verão. A temperatura subiu para 35° e o sol brilhou no céu para tornar os cariocas felizes. Com o clima perfeito, a Arena Carioca 1, um dos espaços construídos para os Jogos Olímpicos de 2016, recebeu uma grande multidão para o primeiro dia da terceira etapa da temporada 2017/2018 da Abu Dhabi Grand Slam World Tour . O primeiro dia foi dedicado a faixas-roxas e brancas nas divisões adulto e master.

Os nove tatames instalados no Rio foram o cenário para batalhas ferozes ao longo do dia desde a cerimônia de abertura que apresentou os hinos nacionais do Brasil e Emirados Árabes Unidos. Em mais de sete horas de Jiu-Jitsu de alta qualidade, muito drama se desenrolou até que todos os campeões foram coroados. Uma divisão merece uma menção especial. Na divisão master 1 faixa-roxa de 77kg, o para-atleta Thiago Silva faturou medalha de ouro após três combates. Competindo contra adversários sem necessidades especiais, Thiago conquistou o título e deu uma poderosa declaração sobre a capacidade de adaptação que o Jiu-Jitsu fornece aos atletas.

Aqui estão os campeões da divisão masculina e feminina de faixas roxas.

Masculino

56kg – Thalison Vitorino (PSLPB Cicero Costha)
62kg – Lucas Emanuel (Equipe Cassão)
69kg – Daniel Junior (Soul Fighters)
77kg – Dionatan Santos (Alliance Mario Reis)
85 kg – Alex Munis (Clube Feijão)
94kg – Anderson Munis (Clube Feijão)
110kg – Pedro Pimenta (GF Team)

Feminino

49kg – Jessica Dantas (Caio Terra)
55kg – Andreza Sousa (Ares BJJ)
62kg – Janaina Menezes (SAS Team)
70kg – Melissa Cueto (Broca BJJ)
90kg – Raiane Santos (GB)

Na disputa de equipes, a contagem final após o primeiro dia foi:

1º – GF Team (6748 pts)
2º – Gracie Barra (2476pts)
3ª – Nova União (1984pts).

O Abu Dhabi Grand Slam Rio retorna neste sábado para um segundo dia de fortes emoções. A divisão dos faixas-pretas entra no jogo e traz ainda mais experiência para a competição. Para os resultados parciais, clique aqui!

Jiu-Jitsu: Reta final de inscrições para o Classic BJJ Pro em Fortaleza

Classic BJJ promete agitar Fortaleza no feriado de 15 de novembro. Foto: Divulgação

As inscrições para o Classic BJJ Pro estão em reta final, com encerramento neste sábado, dia 11 de novembro. O torneio com disputas com e sem kimono será realizado no feriado de 15 de novembro (Proclamação da República) e promete agitar o Colégio Gustavo Braga em Fortaleza, Ceará.

Válido pelo Ranking MeiaGuarda, o evento já tem confirmados nomes conhecidos na região, como Marcelo Marques, Pedro Henrique, Almir Jr, Aloisio Jr, Alysson Bruno, Napoleão Cavalcante, Matheus Carlos, Samuel Falcão, Luiz Otávio, Jonas Bruno, Fernando Kylderi, João Victor Machado, Davi Silva, Anderson Leal, Antonio Filho, Relter Filho, Lindisney Lima, Rodrigo Feitosa, Macksuel Maciel, Felipe Carlos, Gabriel Almeida, , Rithy Sales, Leidiane Regis e Jeanne Rafaelly, entre outros atletas.

Inscreva-se já e junte-se a eles. O registro pode ser feito nas lojas TOGO, OSS, Moringa ou Fort Nutri.

Confira os valores da inscrição:

Categoria – 60 reais
Absoluto – 40 reais
Com kimono + Sem kimono (Categorias) – 100 reais
Com kimono + Sem kimono (Categorias + Absolutos) – 150 reais
Projeto Social – 25 reais

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (85) 98954-3813, ou no site www.meiaguarda.com.br.

Última chance para acumular pontos na IX Etapa da Copa Prime de Jiu-Jitsu

Reta final para os ateltas que buscam o Top Ranking da Copa Prime de Jiu-Jitsu. Foto: Divulgação

A grande final da Copa Prime de Jiu-Jitsu, marcada para 19 de novembro, acontecerá em Lajeado e promete lotar o Ginásio Municipal Francisco Brancher para a definição do ranking anual. As inscrições já estão abertas e devem ser feitas pelo site da Pro Sports até às 17h horas do dia 14, próxima terça-feira.

Neste ano, nove batalhas formaram o Circuito Prime e a grande final fechará com chave de ouro a temporada de competições, além de definir os Top Ranking de 2017. Os 13 atletas que somarem a maior pontuação vão fazer parte da Seleção Prime para disputar o Mundial de Jiu-Jitsu e Mundial Master IBJJF de 2018 nos Estados Unidos, além do Campeonato Brasileiro CBJJ 2018, em São Paulo (conforme categorias beneficiadas).

“Conseguimos com muito trabalho e dedicação repetir o sucesso dos anos anteriores, apesar da crise que assola o nosso país. Queremos incentivar a evolução e o alto nível do Jiu-Jitsu gaúcho. Já estamos montando o calendário de 2018, em breve teremos muitas novidades”, afirma o faixa-preta Fernando Paradeda, diretor da Pro Sports.

Para maiores informações sobre a batalha final da Copa Prime acesso o site www.prosportsbjj.com

“Demian Maia de saias”, Virna Jandiroba estreia no Invicta MMA em dezembro

Virna ataca a ex-UFC Erika Almeida com um armlock no Fight 2 Night em Foz do Iguaçu. Foto: Carlos Arthur Jr.

Com nove finalizações no cartel perfeito de 11 lutas no MMA, Virna Jandiroba é a próxima representante do Jiu-Jitsu nos cages internacionais. Após fazer carreira no Brasil com seu jogo de chão refinado, a baiana segue para o Invicta FC, com estreia e adversária já definidas.

Virna fará seu debute na 26° edição do evento, e terá pela frente a veterana peso-palha Amy Montenegro (8v, 2d), em evento que rola no dia 8 de dezembro, em Kansas, EUA. Chamada nos bastidores de “Demian Maia de saias”, por conta de sua habilidade no Jiu-Jitsu, Virna acumula títulos regionais n arte suave e vitórias contra atletas ilustres nas faixas-coloridas, como Bia Mesquita na faixa-roxa e também sobre a atual campeã peso-galo do UFC, Amanda Nunes, que foi superada duas vezes na faixa-azul. Já na faixa-preta, Virna bateu a ex-desafiante ao cinturão peso-palha do UFC Claudinha Gadelha

Para embalar o leitor de GRACIEMAG a conferir sua próxima luta no Invicta, Virna gravou uma posição de kimono com exclusividade, no qual mostra uma transição da posição de cem-quilos para as costas, com estrangulamento usando a lapela.

O Invicta FC 26 terá, além de Virna, duas brasileiras no card: Jennifer Maia, que parte em defesa do cinturão peso-mosca contraa polonesa invicta Aga Niedźwiedź; e Vanessa Porto, que encara a russa Milana Dudieva.

Confira o vídeo abaixo e estude a transição!

Jiu-Jitsu: A queda com estrangulamento de Flávio Canto em Travis Stevens no Mundial de Judô

Flávio Canto usou e abusou de suas técnicas de finalização em sua carreira no judô. Foto: Divulgação

Um dos nomes mais conhecidos do judô, no Brasil e no mundo, Flávio Canto foi dono de uma carreira e tanto nos tatames. Com suas quedas plásticas e gás inacabável, o craque acumulou grandes conquistas no esporte, como o bronze olímpico em Atenas 2004 e o ouro no Pan de Santo Domingo, em 2003. Contudo, mesmo exímio nas quedas, uma de suas especialidades era no ne waza, que são as técnicas executadas no solo, como no Jiu-Jitsu.

Canto migrou para treinar em academias de Jiu-Jitsu e refinar seu jogo de chão, e os resultados vieram. Em um de seus lances memoráveis no solo, Canto encarou Travis Stevens, outro judoca com base sólida no chão, faixa-preta de Jiu-Jitsu da academia de Renzo Gracie, em Nova York. O duelo rolou no Mundial de Judô de 2010, em Lisboa, Portugal.

Logo no início da peleja, Canto puxou Travis e colocou o americano em complicada chave omoplata. Sem finalizar, Canto seguiu com as investidas no solo, até que aplicou a jogada que terminaria a luta: com bela queda, Flávio caiu por cima e estrangulou da montada.

Relembre o lance no vídeo abaixo!

Abu Dhabi Grand Slam de Jiu-Jitsu: A análise das disputas na faixas-preta

Xande Ribeiro e Felipe Preguiça fizeram grande duelo na última edição no Rio. Foto: Carlos Arthur Jr.

Grandes emoções no aguardam para a edição de 2017 do Abu Dhabi Grand Slam do Rio de Janeiro. O torneio tem início nesta sexta-feira, dia 10 de novembro, com os faixas-brancas e roxas, mas é no sábado, dia 11, que os melhores faixas-pretas do mundo entram em ação para disputar o ouro e os prêmios em dinheiro da competição.

GRACIEMAG mergulhou na lista de inscritos e fez uma prévia do que esperar de cada divisão, no masculino e no feminino. Confira abaixo e deixe sua opinão com os favoritos nos comentários!

MASCULINO PRETA

56kg

A dupla da GFTeam João Nakamura (já ranqueado na UAEJJ) e José Carlos Lima (Campeão mundial na marrom e campeão no Grand Slam de Los Angeles) promete sacudir a divisão, com outros nomes que devemos ficar de olho, como Paulo Pizziali (Nova União) e José Carlos Filho (Pr1mera).

62kg

João Miyao (Cícero Costha) entra como favorito na divisão, juntamente dos companheiros de equipe já locais no Grand Slam do Rio Hiago George e José Thiago. Outro atleta que pode embolar a categoria é Hiago Sousa (Alliance).

69kg

Campeão no ano passado, Isaque Paiva (Saikoo) terá mais desafios este ano para defender seu título. Um dos que chegam forte na categoria é Fernandinho Vieira (Carlos Holanda JJ), campeão mundial da IBJJF que vem embalado por outros títulos na temporada, além da fera Rafael Mansur (NS Brotherhood).

77kg

Com grandes nomes como Jaime Canuto (GFTeam), Celsinho Venicius (Ryan Gracie), Luan Carvalho (Nova União) e Hugo Marques (Soul Fighters), a divisão até 77kg promete ser uma das mais inflamadas da competição.

85kg

Feras do calibre de Isaque Bahiense (Alliance), Ruan Oliveira (Soulfighters), Vinicius Marinho (GFTeam), Thiago Sá (Checkmat) e Gustavo Braguinha(NS Brotherhood) fazem desta divisão uma das mais abertas do torneio.

94kg

Terror dos campeonatos na Europa, o polonês Adam Wardzinski (Zlomiarz Team Gdansk) chega para disputar seu primeiro torneio no Brasil como faixa-preta. Contudo, a fera não terá vida fácil, já que na mesma divisão ele encontrará cascas-grossas como Xande Ribeiro (Ribeiro JJ), Lucas Hulk (Atos), Patrick Gáudio (GFTeam) e Dimitrius Sousa (Alliance).

110kg

Na divisão mais pesada do masculino, os gigantes Alexander Trans (GFTeam) e Igor Silva (Commando Group) se juntam a feras como Igor “Tigrão” (NS Brotherhood), Gustavo Elias (Ribeiro JJ) e Guilherme Cordiviola (GFTeam).

FEMININO MARROM/PRETA

49kg

Três nomes da GFTeam estão na chave: Thamires Aquino, e as faixas-marrons Mayssa Bastos e Tamiris Vieira.

55kg

Em divisão apenas com faixas-marrons, a fera Gabriela Fechter (Checkmat) entra como favorita na chave com quatro atletas.

64kg

Divisão da morte no feminino conta com nomes como Bia Mesquita (Gracie Humaitá), Luiza Monteiro (NS Brotherhood), Bia Basílio (Almeida JJ) e a ex-desafiante ao cinturão do UFC Jéssica Andrade (PRVT).

70kg

Em divisão recheada, nomes como Ana Carolina Vieira (GFTeam), Renata Marinho (Alliance), Glaucia Braga (Gracie Barra), Julia Boscher (Soul Fighters), Erin Herle (Alliance)

90kg

Feras como Claudia do Val (De la Riva), Samela Sohamy (Ribeiro JJ), Brenda Heler (Gracie Humaitá), Karlona Hipólito (Top Brother) e Carina Santi (G13) chegam com destaque na divisão.

GM #249: Hábitos vitoriosos

A GRACIEMAG #249 já está disponível em sua versão digital.

Para conferir tudo o que a revista dedicada ao Jiu-Jitsu mais lida do Brasil tem a oferecer este mês, acesse www.graciemagshop.com.br e faça já sua assinatura digital.

Boa leitura e bons treinos!

GM Digital com kimono Prime Esportes! Começe 2018 de armadura nova!

O fim de ano está aí e é hora de começar a planejar a temporada 2018.

E para ajudar você a dar aquela reforçada no kimono querido de cada dia, a GRACIEMAG tem o prazer de oferecer a você o combo da assinatura anual da GM Digital com kimono Prime Shield.

Para garantir já seu kimono clique no link da cor de kimono de sua preferência abaixo:

GM Digital anual + Prime Shield branco (R$ 239 e nada mais)

ASSINATURA GM DIGITAL ANUAL + KIMONO PRIME SHIELD BRANCO

GM Digital anual + Prime Shield azul (R$ 239 e nada mais)

ASSINATURA GM DIGITAL ANUAL + KIMONO PRIME SHIELD AZUL

GM Digital anual + Prime Shield preto (R$ 239 e nada mais)

ASSINATURA GM DIGITAL ANUAL + KIMONO PRIME SHIELD PRETO

Assinando agora, você tem acesso GRÁTIS às últimas 4 edições da GRACIEMAG e ainda garante as próximas 12 edições no conforto do seu smartphone, tablet ou computador.

E não é só isso. Você ainda ECONOMIZA.

Basta pegar a calculadora e conferir. Como o FRETE É GRÁTIS, você chega a economizar mais de R$ 100 caso fosse adquirir o kimono e a assinatura separadamente.

Parcele sua compra no cartão de crédito em até 10 VEZES SEM JUROS e cada parcela sai a partir de R$ 23,90 por mês.

Vale muito a pena.

Acesse os links acima ou visite www.graciemaghop.com.br e aproveite.

Os estoques são limitados!

Estamos na torcida para que você se torne um assinante GRACIEMAG Digital.

Um abraço e bons treinos.

OSS!

Alexandre “Gigi” Paiva ensina raspagem da De la Riva na GMI Alliance Leblon

Gigi e Romero Jacaré. Foto: Arquivos GRACIEMAG

Nome de alta patente na equipe Alliance, junto de outras lendas como Romero Jacaré e Fábio Gurgel, Alexandre “Gigi” Paiva tem no seu baralho do Jiu-Jitsu uma infinidade de posições para surpreender seus adversários e fazer o jogo de seus alunos ainda mais perigoso.

Escalado para figurar na capa de GRACIEMAG, ao lado do aluno e faixa-preta Cauã Reymond, Gigi aproveitou o intervalo das fotos para mostrar uma raspagem partindo da guarda De la Riva.

Na posição, gravada na nossa GMI Alliance Leblon, com o auxilio do faixa-preta Rodrigo Akillis, Gigi cria um espaço entre ele e o adversário para travar a mão do oponente, antes de trazer o mesmo de volta para a curta distância e assim inverter com segurança.

Veja os detalhes no vídeo abaixo e coloque mais esta raspagem no seu jogo!

Copa Podio de Jiu-Jitsu define faixa-marrom do GP de Pesados neste domingo

Fellipe Trovo volta a Copa Podio para tentar nova chance entre os faixas-pretas. Foto: Deive Coutinho

Evento famoso por revelar grandes nomes da faixa-marrom, a Copa Podio realizará neste domingo, dia 12 de novembro, no salão Nobre do Clube Espanha, no Humaitá, no Rio de Janeiro, o Iron Brown Belt, competição que servirá de seletiva para o próximo GP da Copa Podio , marcado para janeiro de 2018.

Os lutadores Victor Hugo (Ribeiro JJ), Fabio Alano “Kamikase” (Alliance RS), Kayan Duarte (AtosJJ) e Fellipe Trovo (Ushirobira JJ) estão escalados para o desafio, no qual as feras se encaram em sistema de rodizio, todos contra todos, até que um deles alcance quatro vitórias. O vencedor ganha vaga no GP dos Pesos Pesados, na próxima temporada.

“Em cinco temporadas tivemos grandes faixas-marrons disputando a Copa Podio, porém até hoje nenhum ficou com a coroa. O objetivo do Iron Brown Belt é dificultar mais essa jornada para que somente os melhores entrem na disputa. A ideia é que antes de cada GP seja realizado um ou dois eventos para selecionar os faixas-marrons”, explicou o presidente da Copa Podio, Jéferson Mayca.

Os ingressos serão limitados para 120 expectadores e podem ser adquiridos no site www.copapodio.com.
Todas as emoções do Iron Brown Belt serão transmitidas através do site www.fighteria.tv. O pay-per-view já está à venda e poderá ser adquirido no mesmo endereço eletrônico.

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Jiu-Jitsu na Estrada: o projeto social em Porto Alegre que abriga jovens no dojô

Eduardo com a molecada do Projeto Social Gaditas. Foto: Arquivo pessoal

O faixa-preta Eduardo Oliveira, que comanda o Projeto Social Gaditas em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, tem uma missão além de ensinar o Jiu-Jitsu: transformar vidas com o esporte.

Com dois filhos biológicos e dois adotivos, Eduardo e sua esposa decidiram que o tatame do projeto seria lar para mais alguns meninos e meninas. São treze deles, que além das aulas recebem carinho, comida, roupas e tudo mais que é doado para o projeto.

Nossos parceiros do Jiu-Jitsu na Estrada visitaram o professor Eduardo, e este contou um pouco mais da sua missão em resgatar jovens para morar no Projeto Gaditas e a chance que eles têm por lá de aprender a arte suave e cultivar as coisas boas da vida. Confira!

Americanos tentam ganhar ‘paternidade’ do vale-tudo e MMA; entenda

Teria o MMA sido registrado antes pelos americanos?

Por: Oriosvaldo Costa

Como brasileiro sempre me orgulhei do vale-tudo ter sido criado aqui em nosso país. Se as autoridades brasileiras já reconheceram o esporte pátrio, criado aqui no Brasil por volta de 1930, parece que as norte-americanas ainda não, e chegam ao cúmulo de tentarem roubar a paternidade da modalidade.

Segundo está sendo vinculado na mídia norte-americana, o esporte teria sido criado em Pittsburgh, nos EUA, e os pais da “criança” seriam Bill Viola e Frank Caliguri. Eles teriam fundado em 1979 a CV Productions Inc. e escrito regras parecidas com as do atual MMA. Estas teriam certas diferenças das atuais em alguns pontos, devido à evolução do esporte, mas possuiriam uma notável semelhança em outros.

O objetivo seria transformar os tradicionais desafios vale-tudo em um esporte de combate real na América, e também levados pelo anseio do público em saber quem venceria um campeonato disputado por um boxeador, artista marcial clássico ou um wrestler .

Viola e Caliguri colocaram suas idéias em prática já em 1979, realizando as lutas em bares e academias onde os atletas utilizavam luvas abertas e eram permitidos golpes como socos, chutes, quedas e técnicas de grappling. As finalizações eram raras, mas aconteceram algumas, pois o judô e o Jiu-Jitsu japonês já haviam sido disseminados por lá.

Um dos árbitros que mais se destacaram à época foi Jack Bodell, ex- karateca e kickboxer e aluno de Viola. Bodell, além de promotor, era agente do Serviço Secreto dos Estados Unidos, encarregado de proteger o presidente Jimmy Carter.

Os campeonatos tinham por objetivo selecionar os atletas mais durões, chamados de “Tough Man” no início, mas logo o termo foi substituído por “Tough Guy” para distinguir-se de eventos de boxe realizados por um outro promotor.

O sucesso do campeonato de Viola e Caliguri foi grande na região da Pensilvânia, e o momento não poderia ser mais oportuno, pois este foi o ano do lançamento de Rocky II, protagonizado por Sylvester Stallone. Existe até um site nos EUA afirmando que Rocky teria influenciado o MMA e que Balboa teria sido um “Tough Guy”.

O plano da dupla era que os vencedores do torneio de 1979 se enfrentassem em uma competição prevista para março de 1980.

Não é a toa que eles promulgam a CV Productions como a primeira empresa documentada para promover o MMA nos EUA, antes da SEG (que já controlou o UFC) e da Zuffa. O campeonato cresceu tão rapidamente que novos shows, programados para uma turnê nacional, teriam levado a modalidade a quase toda as cidades importantes dos EUA.

Em 1980 foi realizado o evento “Batalha do Superfighters”, na Filadélfia, e Len Pettigrew, da equipe da NFL Philadelphia Eagles, conquistou o título dos pesados.

Com o sucesso do campeonato, a CV Productions negociou um acordo de patrocínio nacional para o show que deveria ser realizado em Las Vegas, no ano de 1981. A premiação seria de 100 mil dólares (para colocar a magnitude do prêmio em dinheiro em perspectiva, o salário médio de um profissional da NFL em 1980 era de 78.657 dólares).

Contudo, os shows promovidos pela CV Productions estavam com os dias contados. Em 6 de novembro de 1980 eles foram intimados pela Comissão Atlética do Estado da Pensilvânia a cancelar as lutas, mas seguiram em frente e realizaram o evento programado para Greensburg, já que o Estado supervisionaria apenas lutas de boxe e Professional Wrestling, e este era um esporte novo.

Mas com a morte prematura de Ronald Miller, aos 23 anos, em uma luta de boxe “Tough Man”, realizada por um promotor que não tinha nenhuma ligação com a CV Productions, o novo esporte foi proibido. Na realidade, faltou jogo politico para Viola e Caliguri, pois na época já eram febre também os torneios de full contact (uma versão do kickboxing ),conhecidos naquele país como Killer Karate, que ganhou esse nome devido à morte de alguns atletas durante as competições. Mas ao contrário das lutas promovidas pela dupla, o full contact contava com adeptos famosos, dentre os quais destacamos Chuck Norris, Joe Lewis e Lou Delgado.

Atualmente, após uma batalha de mais de 30 anos a Comissão Atlética do Estado da Pensilvânia, finalmente cedeu e resolveu legalizar as competições sob o novo formato do MMA, no dia 27 de Fevereiro de 2009, e desde então foram lançados sites que visam preservar a “integridade histórica” do MMA moderno, segundo esta versão norte-americana. Em 23 de Junho de 2011, o Western Pensylvannia Sports Museum At The History Center lançou uma exposição para coroar Viola e Caliguri como os pais do MMA moderno nos EUA.

Ainda para corroborar tal teoria, foi lançado o documentário “Tough Guys” que teve a sua estreia mundial em 15 de junho de 2017, no AFI Docs Film Festival em Washington. O filme é dirigido por Henry Roosevelt e WB Zullo, com produção por Craig DiBiase.

A história não deve ser modificada, porém. O MMA é originado do vale-tudo, e este, por sua vez, é um esporte que foi criado aqui no Brasil, como citei no inicio do artigo. Promotores da terra do Tio Sam, que já contam com o respaldo do governo, agora querem reivindicar a criação de uma modalidade que nós, brasileiros, promovemos às custas de muita garra, suor, porrada e sangue.

Jiu-Jitsu: GMI Roberto Ferraz ensina estrangulamento com ataque duplo na GB Leblon

GMI Roberto Ferraz com parte de seus alunos da Gracie Barra Leblon. Foto: Arquivo pessoal

Nosso time de associados está sempre com a cabeça em você, nobre leitor de GRACIEMAG, para trazer as melhores opções de posições e truques para afiar o seu Jiu-Jitsu. Na aula de hoje, dois professores de alto calibre mostram um estrangulamento para pegar todo mundo nos treinos e também nos torneios.

O faixa-preta Roberto Ferraz, professor GMI da Gracie Barra Leblon, escalou o não menos fera Alexandre Café, e a aula traz um macete inteligente para finalizar com a lapela do adversário.

Roberto mostra como liberar a lapela e trazer o adversário para perto, e assim passar o pano de uma das mãos para a outra com a intenção de estrangular. A defesa, já prevista na posição, é usada como vantagem para desequilibrar o oponente e dar ainda mais ajuste no golpe, que pega rápido.

O outra cenário, no qual o adversário faz a defesa com o uso do braço oposto, abre mais um leque de opções para pegar: além de estrangular, o atacante pode também puxar o braço e finalizar na alavanca.

Ficou curioso? Confira no vídeo abaixo a finalização com ataque duplo de Roberto Ferraz e não deixe de agendar uma visita para conhecer outros golpes eficientes com o professor!

Gracie Barra Leblon
Av. Ataulfo de Paiva, 591
Leblon, Rio de Janeiro, RJ
# (21) 97179-0133
gbleblon@hotmail.com

Home 2015


@graciebarraleblon

O dia em que Cauã Reymond foi salvo pelo Jiu-Jitsu

Cauã Reymond faz sua guarda favorita contra Gigi Paiva, na Alliance Rio, no Leblon. Foto: Daniel Amaral/Gallerr

O ator Cauã Reymond, faixa-preta formado por Alexandre “Gigi” Paiva na Alliance e ex-competidor em eventos da CBJJ, carrega até hoje grandes lições do dojô, úteis para sua vida e profissão. Para usar uma palavra da moda, o galã global nutre gratidão pelo Jiu-Jitsu que aprendeu.

Em entrevista exclusiva publicada nas páginas de GRACIEMAG, Cauã detalhou de que modos o Jiu-Jitsu foi seu grande aliado para pacificar a mente em situações de perigo. Ao ser assaltado certa vez, ou em outras quando foi provocado por algum abusado, o faixa-preta teve calma e controle para evitar graves problemas, segundo ele graças à serenidade que o Jiu-Jitsu traz. Contudo, em dadas ocasiões, o Jiu-Jitsu foi realmente pontual para salvar sua pele – literalmente.

“Tem um aspecto importantíssimo do Jiu-Jitsu que é o de não se precipitar uma situação”, disse o ator, “ou seja, de manter a frieza e não reagir, o que muitas vezes apazigua e soluciona uma situação. Já passei por situações de pessoas tentando me provocar, principalmente quando estas pessoas sabiam que eu já tinha lutado Jiu-Jitsu… Alguns indivíduos passam da conta, em ocasiões como no sambódromo por exemplo, e tentam se autoafirmar em cima de você. Nessas situações eu sempre soube buscar a melhor saída, falar firme quando preciso, manter a noção de espaço e escapar da ameaça da melhor maneira.”

Cauã já passou por outros casos, quando ainda era modelo:

“Certa vez eu estava na Itália tirando umas fotos, eram idos de 1999. Para você ver como eu não conseguia parar de treinar, eu pegava o kimono e ia numa academia de judô manter a forma. Eu morava em Milão e meu vizinho de porta era um marinheiro americano, um ex-Navy Seal que tinha sofrido uma explosão de granada na Somália, tinha umas marcas no braço e virou modelo, era dono de um rosto marcante. Ele tomava uns remédios tarja preta e gostava de me provocar, perguntando o que era Jiu-Jitsu, queria brincar de briga, essas coisas. Eu procurava evitar sempre. Até que um dia na rua ele me agarrou, nos embolamos e dei um armlock nele. Ele ficou enfurecido comigo. Bateu na minha porta com um facão horas depois, me xingando, dizendo que o braço dele estava machucado. Mas eu como sempre mantive a frieza, expliquei que não quis machucá-lo e a situação se tranquilizou. Depois a esposa dele me explicou que ele tinha esquecido de tomar alguns dos remédios.”

O ator teve a pele salva em outra situação, quando se acidentou no asfalto na Flórida:

“Em outra ocasião estava em Miami e um motorista bateu na minha moto. Dei cinco rolamentos e saí intacto. Poderia ter me machucado feio. Esta foi mais uma vantagem que o Jiu-Jitsu me proporcionou: sempre fui capaz de fazer a maioria das minhas cenas de ação, sem precisar ser substituído por um dublê. Como sempre fui um atleta bem alongado, sempre tive uma compreensão e uma inteligência corporal úteis em muitos papéis que fiz”, lembrou Cauã.

E você, amigo leitor, já foi salvo pelo Jiu-Jitsu em alguma enrascada? Comente conosco e, para ler o artigo completo e conferir outras lições de Jiu-Jitsu, assine agora a GRACIEMAG Digital, moderna versão da sua revista preferida para ler no celular, tablet e computador!

Aprenda com a primeira aula de Roberto Gordo na GMI Start BJJ

Gordo ensinou seus melhores truques na GMI Start BJJ. Foto: Reprodução

Depois de longa temporada em Abu Dhabi, Roberto “Gordo” Correa chegou à Flórida com a missão de ensinar o seu fino Jiu-Jitsu na nossa GMI Start BJJ.

A academia, tocada por Rafael “Gordinho”, já estava em plena atividade, mas a chegada do popularizador da meia-guarda promete dar ainda mais refino ao ensino do Jiu-Jitsu em Pembroke Pines.

Para sua aula de estreia no dojô, Gordo contou com a presença de Zé Mario Sperry, célebre campeão mundial absoluto em 1998 formado por Carlson Gracie, além de um exército de alunos, famintos para aprender as artimanhas de Gordo.

No vídeo, você confere a primeira aula do professor na nova academia. Veja e visite nosso catálogo GMI, com algumas das melhores academias de Jiu-Jitsu do Brasil e do mundo.

Jiu-Jitsu: Georges St-Pierre e o mata-leão que apagou Bisping no UFC 217

GSP já com a cana do braço no pescoço de Bisping para garantir o cinturão do UFC. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Em noite de gala no UFC 217, realizado no último sábado, no Madison Square Garden, em Nova York, Georges St-Pierre voltou para o octógono com o pé direito. Após quase 4 anos longe dos cages, o canadense ex-campeão dos meio-médios fez o seu retorno contra Michael Bisping, em combate que valeu o cinturão dos médios, e o Jiu-Jitsu forte do pupilo de Renzo Gracie e Matt Serra foi posto em prática.

No duelo, GSP começou com o controle do centro do cage. Algumas trocas de soco da média para a curta distância rolaram entre os atletas, mas sem real perigo de nocaute. Bisping voltou mais esperto na segunda etapa. Com leve cansaço do canadense, o cipriota naturalizado inglês atacou melhor na trocação e, mesmo derrubado no single leg, não se rendeu e voltou a pontuar em pé.

No terceiro assalto, St-Pierre não pensou duas vezes e levou logo para o solo no single-leg. Bisping se movimentou bem com as costas no solo e levantou, mas um cruzado forte de GSP levou o campeão ao chão novamente, e este acabou por ter o canadense nas suas costas. De lá, GSP aplicou o mata-leão da vitória: após passar o braço, Bisping não bateu e dormiu no estrangulamento. Vitória de Georges, que agora se coloca ao lado de Randy Couture, BJ Penn e Conor McGregor como campeão em duas categorias diferentes do UFC.

Confira no vídeo abaixo o legdrag e a finalização certeira de GSP!

.

Chegou a revista digital GRACIEMAG. Clique abaixo e leia no seu celular!

Com Jiu-Jitsu, Georges St-Pierre apaga Bisping em noite de zebras no UFC 217

St-Pierre engatilha o mata-leão vitorioso em Bisping na luta principal do UFC 217. Foto: Buda Mendes/Zuffa LLC via Getty Images

Noite histórica no Madison Square Garden, casa de grandes eventos esportivos que mais uma vez foi palco para um verdadeiro show de lutas. No UFC 217, realizado nesse sábado, dia 4 de novembro, o fã de MMA viu três donos de título serem destronados, um deles por um ex-campeão que usou o fino Jiu-Jitsu para chegar ao topo.

Georges St-Pierre, TJ Dillashaw e Rose Namajunas foram os desafiantes que conquistaram seus novos cinturões no octógono do UFC. Vale lembrar que mesmo com cinco assaltos programados para cada luta de título, nenhuma chegou ao quarto round.

Confira abaixo os detalhes de cada duelo válido pelo título mundial do UFC 217!

St-Pierre bota Bisping para dormir com o Jiu-Jitsu

No dia 16 de novembro de 2013, GSP deixou os cages ao anunciar sua aposentadoria. Pouco antes de completar quatro anos parado, o canadense voltou para defender sua sequência de 12 sucessos consecutivos em situação adversa: além do longo hiato longe do octógono, o desafio seria na categoria acima da que o craque reinou (a dos meio-médios) contra o atual campeão peso médio da organização, Michael Bisping.

No duelo, GSP começou com o controle do centro do cage. Algumas trocas de soco da média para a curta distância rolaram entre os atletas, mas sem real perigo de nocaute. Bisping voltou mais esperto na segunda etapa. Com leve cansaço do canadense, o cipriota naturalizado inglês atacou melhor na trocação e, mesmo derrubado no single leg, não se rendeu e voltou a pontuar em pé.

No terceiro assalto, St-Pierre não pensou duas vezes e levou logo para o solo no single-leg. Bisping se movimentou bem com as costas no solo e levantou, mas um cruzado forte de GSP levou o campeão ao chão novamente, e este acabou por ter o canadense nas suas costas. De lá, GSP aplicou o mata-leão da vitória: após passar o braço, Bisping não bateu e dormiu no estrangulamento. Vitória de Georges, que agora se coloca ao lado de Randy Couture, BJ Penn e Conor McGregor como campeão em duas categorias diferentes do UFC.

TJ é preciso e supera o veloz Cody Garbrandt

TJ atacou ferozmente após o knockdown para garantir a vitória. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Luta que definiu uma rixa pessoal entre os pesos-galos, por conta de desentendimentos e mudanças de equipe, Cody e TJ estavam inflamados para entrar no cage e disputar o cinturão. Na luta, TJ variava para tentar surpreender o campeão, mas Cody era sempre veloz nas investidas e mostrou superioridade, inclusive ao quase liquidar a fatura no fim da primeira etapa, após belo knockdown que só não concluiu a luta por TJ ser salvo pelo gongo.

No segundo round, porém, Dillashaw voltou melhor e aproveitou sua chance. Após levar Cody ao solo com um chute alto, TJ engatou em trocação franca com o campeão, e num cruzado de esquerda certeiro levou Garbrandt ao solo. Uma saraivada de socos obrigou Dan Miragliotta a encerrar o combate, declarando o novo campeão. TJ, pela segunda vez na carreira, conquista o cinturão até 61kg do Ultimate. Na primeira, superou Renan Barão, em 2014.

Namajunas choca o mundo e nocauteia a favorita Jedrzejczyk

Namajunas recebe o cinturão de Dana White e chora de emoção. Foto: Josh Hedges/Zuffa LLC via Getty Images

Invicta até então em 14 lutas no MMA, Joanna Jedrzejczyk fez a promoção de sua luta sempre na intenção de entrar na mente de sua adversária. Encaradas nervosas e até um leve soco no rosto de Rose apimentaram o duelo. Namajunas, por sua vez, se manteve firme como rocha, sem sorrir ou demonstrar emoções. A loira guardou tudo para o cage.

Na luta, que valia o cinturão peso-palha do UFC, Joanna começou as ações com suas fortes e rápidas combinações, mas foi Namajunas que conseguiu o primeiro golpe preciso, e levou a polonesa ao solo com o knockdown. Ao invés de investir nos ataques por cima, tentou atacar no Jiu-Jitsu e progredir no chão, mas Joanna escapou e levantou. Ainda balançada pelo ataque recente de Rose, Joanna ficou mais lenta que o normal, e Namajunas foi com tudo para cima. Com um cruzado de esquerda, levou a campeã ao solo mais uma vez, e Rose foi implacável por cima ao desferir socos. Por fim, Namajunas viu Joanna se render e a luta ser encerrada no primeiro assalto, como nova campeã da divisão.

E para você, amigo leitor, quais devem ser os próximos desafiantes aos novos campeões do UFC? Veja todos os resultados abaixo e comente conosco!

UFC 217
Madison Square Garden, Nova York, EUA
4 de novembro de 2017

Georges St-Pierre finalizou Michael Bisping no mata-leão aos 4min23s do R3
TJ Dillashaw nocauteou Cody Garbrandt aos 2min41s do R2
Rose Namajunas nocauteou Joanna Jedrzejczyk aos 3min03s do R1
Stephen Thompson venceu Jorge Masvidal na decisão unânime dos jurados
Paulo Borrachinha venceu Johny Hendricks por nocaute técnico a 1min23s do R2

Card preliminar

James Vick venceu Joe Duffy por nocaute técnico aos 4min59s do R2
Mark Godbeer venceu Walt Harris por desclassificação (chute ilegal)
Ovince St-Preux nocauteou Corey Anderson a 1min25s do R3
Randy Brown venceu Mickey Gall na decisão unânime dos jurados
Curtis Blaydes venceu Alexey Oliynyk por nocaute técnico a 1m56s do R2
Ricardo Carcacinha nocauteou Aiemann Zahabi a 1m58s do R3

Léo Leite perde invencibilidade no Bellator 186; Ryan Bader defende cinturão

Phil Davis e Léo Leite tiveram intensa troca de socos durante os três assaltos. Foto: Bellator

Noite de grandes emoções, duas disputas de cinturão e estreia com gosto amargo no Bellator 186, realizado nessa sexta-feira, dia 3 de novembro, na Pensilvânia.

Bicampeão mundial de Jiu-Jitsu, Leonardo Leite partiu para seu debute na organização com um cartel invicto de 10 lutas. Pela frente, o brasileiro teve Phil Davis, ex-atleta do UFC e ex-campeão do Bellator na divisão em que lutaram, a dos meio-pesados.

Mesmo como um peso médio de origem, Léo não descartou a oportunidade de estrear no Bellator e se jogou de cabeça no desafio de subir de categoria, para assim disputar com Phil um possível atalho até o cinturão. Contudo, o andamento da luta não foi como o fã de Jiu-Jitsu esperava.

Craque nas quedas e finalizações, Léo não conseguiu impor o seu ritmo. Mesmo com boas tentativas de derrubar próximo à grade, o ensaboado e bom de base Davis evitou todas as investidas. Na trocação, com superioridade na longa distancia e agilidade para rechaçar as combinações de Léo, o americano também levou vantagem. No fim dos três assaltos, Davis ficou com a vitória na decisão unânime.

Na luta principal, Ryan Bader defendeu o cinturão dos meio-pesados, ao dominar na posição lateral e castigar Linton Vassell com socos por cima no segundo assalto e conseguir o nocaute técnico. Já na luta coprincipal, Ilima-Lei Macfarlane aplicou um belo armlock do triângulo para bater Emile Ducote pelo cinturão inaugural dos pesos-moscas.

Confira abaixo os resultados completos!

Bellator 186
Pensilvânia, EUA
3 de novembro de 2017

Ryan Bader venceu Linton Vassell por nocaute técnico aos 3min58s do R2
Ilima-Lei Macfarlane finalizo Emily Ducote no armlock do triângulo aos 3min42s do R5
Phil Davis venceu Leonardo Leite na decisão unânime dos jurados
Ed Ruth nocauteou Chris Dempsey aos 27s do R2
Saad Awad venceu Zach Freeman por nocaute técnico a 1min07s do R1

Card preliminar

Mike Wilkins finalizou Brett Martinez no mata-leão a 1min09s do R2
Michael Trizano finalizou Mike Otwell no triângulo de mão aos 2min07s do R2
Dominick Mazzotta venceu Matt Lozano por nocaute técnico (interrupção médica) aos 2min37s do R1
Logan Storley venceu Matt Secor na decisão unânime dos jurados
Tywan Claxton nocauteou Jonathan Bowman a 1min29s do R1
Frank Buenafuente venceu Francis Healy na decisão unânime dos jurados

Carlão Barreto encara ex-UFC em duelo de lendas no Grand Slam de Jiu-Jitsu do Rio

Comentarista do Combate e SporTV, Carlão parte para mais um desafio de kimono. Foto: Divulgação

Uma das grandes atrações do Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu World Tour – Rio de Janeiro, será o desafio de “Lendas do Jiu-Jitsu”. Desta vez, o torneio promoverá um duelo entre dois ex-campeões peso pesado da arte suave: Carlão Barreto x Rafael Carino. O evento será realizado na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico da Barra (RJ), entre 10 e 12 de novembro.

Comentarista do canal Combate e vice-presidente da Confederação Brasileira de MMA Desportivo (CBAMM), Carlão Barreto agradeceu a Rodrigo Valério e Elias Eberhard, organizadores da etapa carioca do Grand Slam World Tour, pelo convite e revelou que esse era um grande desejo seu.

“Estava com muita saudade da adrenalina de competição. Apesar do dia a dia super corrido, tenho me dedicando bastante para esse desafio diante do Rafael Carino. Quando recebi o convite do Rodrigo e do Elias para fazer parte do Legends, fiquei muito envaidecido. O sonho de voltar a lutar estava muito grande. Estou voltando por mim, pela minha família, alunos e fãs. Esse era um pedido constante deles”, disse Carlão.

Oriundo da lendária equipe Carlson Gracie, Carlão Barreto terá pela frente um ex-atleta do UFC e representante de umas das principais escolas do Jiu-Jitsu brasileiro: a Nova União. Carlão prega muito respeito a Carino e prevê uma guerra para sair vencedor da disputa.

“Estou pronto para fazer uma grande batalha. O Carino é um grande lutador e será um oponente da melhor qualidade. Vou dar o meu máximo para proporcionar um grande espetáculo e sair daquele tatame de braços erguidos. O Jiu-Jitsu é uma família e essa competição será uma grande festa da arte suave. O leão é velho, mas ainda morde”, concluiu.

Além do Brasil, o Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu World Tour sedia etapas no Japão, Estados Unidos, Inglaterra e Emirados Árabes Unidos. Organizado em parceria pela Federação Brasileira de Jiu-Jitsu (FBJJ) e a Federação de Jiu-Jitsu dos Emirados Árabes Unidos (UAEJJF), o torneio distribuirá 125 mil dólares em premiações.

Serviço

Abu Dhabi Grand Slam Jiu-Jitsu World Tour – Rio de Janeiro
Data: 10, 11 e 12 de novembro
Local: Arena Carioca 1 (Parque Olímpico da Barra)
Inscrições: www.fbjj.org.br
Entrada Franca

(Fonte: Assessoria de imprensa)

Pages